sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Estudos

Comecei a fazer esses estudos com a pretensão de tentar fazer um por dia, mas acabei parando no terceiro. Ainda farei mais, periodicamente, pois é uma ótima forma de aprendizado. São pinturas muito rápidas, de 1 a 2 horas, baseadas em pinturas clássicas (o que chamam de "Master Study"). A intenção é conseguir captar as formas e cores com o olhar e retratá-las da forma mais fiel possível, com pinceladas mais largas, sem focar muito em detalhes ou refinamento. É de grande ajuda pra entender cores, luz e sombra, e composição, entre outras coisas.

Estudo digital de "Angel of Evil", de Antoine Wiertz. Aproximadamente 1 hora.
Estudo digital de "Diana, Chasseresse" de Jules Joseph Lefebvre, aproximadamente 1 hora.
Estudo digital de "Fallen Angel" de Alexandre Cabanel. Esse foi mais demorado, aproximadamente 2 horas. (a versão em que me baseei era mais escura que essa do link, mas não achei a imagem na internet)

sábado, 6 de agosto de 2016

Sonhos de outros mundos


Teve uma época que eu era muito ligada em ETs. Eu sempre gostei, nunca tive medo, só sentia simpatia com a ideia de seres de outros mundos, como se eles fossem ser meus amigos e me tirar da banalidade do mundo humano. Acho que a ideia de alienígenas chegarem dos céus numa nave para interferir na humanidade ou nas nossas vidas não é muito diferente do conceito de anjos vindos do paraíso trazendo algum sentido divino. Durante essa época eu tinha muitos sonhos relacionados a eles - tanto bons quanto assustadores. Nos bons, eu encontrava ETs que eram velhos amigos e sentia uma familiaridade indescritível e ficava muito feliz. Mas também tinha os sonhos que davam medo, geralmente eu não encontrava ETs pessoalmente mas via naves espaciais assustadoras no céu, que causavam um clima de tensão.
Mas teve outros tipos de encontros mais "neutros", como o ET que estava na minha casa, e não era bonzinho, mas era cooperativo, e cuja linguagem era composta por harmonias sonoras vocalizadas por 3 conjuntos de cordas vocais. Ou o gray que, junto com outros, participou de um sonho de conteúdo misterioso, em que senti uma familiaridade e peguei em sua mão, mas assim que fiz isso senti com estranheza e vividez a textura borrachenta de sua pele.

Mas quase nunca os ETs estiveram presentes na minha arte, apesar de com frequência eu pensar em ilustrá-los de alguma forma. Acho que essa é a primeira obra "completa" que faço de uma ET, fora alguns rabiscos da adolescência e um ou outro desenhinho. Foi feita a partir de um esboço que eu tinha começado há anos mas nunca tinha terminado, e na verdade era completamente diferente dessa versão finalizada (as pinturas costumam sofrer muitas transformações no processo!). Minha produção artística não é lá muito intensa e sempre tenho muito mais projetos e ideias do que chego a executar, mas ainda pretendo ilustrar mais esses queridos.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Ás de Copas


Acho essa pintura um tanto fora do usual entre as minhas outras... Eu não lembro direito de onde veio a ideia de pintar uma criatura feminina alada, mas no fim me foi sugerido dar-lhe o título de Ás de Copas pelos óbvios elementos desse arcano incorporados por ela. Ela é um espírito da água, porém alado e volátil, ainda não bem formado, indicando um primeiro surgimento desse elemento. Os seios denotam nutrição e fertilidade, e o olho no peito indica despertar emocional. A cabeça é adornada por ipoméias brancas, uma flor de regência lunar (em inglês é chamada de "moonflower").

Caso um dia eu venha a desenhar um tarot, esse desenho pode ou não ser uma inspiração para os ases dos elementos...

Real Time Web Analytics