terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Retorno de Saturno

Então fiz 30 anos. Posso dizer que este é o momento em que mais me sinto "eu mesma", dona de mim, em toda a vida que já vivi. É uma sensação meio fascinante chegar a certa idade e perceber-se tão diferente, de uma forma inesperada, do que era. Sempre digo que envelhecer é uma dádiva. Não é à toa que mulheres de 30 anos (e mais velhas que isso) são estigmatizadas pela sociedade machista; uma mulher que alcança a maturidade se torna menos manipulável, menos impressionável, e portanto, menos controlável. Ou seja, mais perigosa aos olhos daquele que acham que mulheres devem ser domesticadas e submissas...

Por volta dos 28-30 anos, astrologicamente, ocorre o Retorno de Saturno, momento em que Saturno completa 1 ciclo em torno do sol, retornando à posição em que estava no momento do seu nascimento. Saturno é regente do tempo, dos ciclos, da morte, da maturidade, então o fim de seu ciclo e o início de um novo é muito marcado por esse conceito de morte. Sua identidade antiga, jovem, morre, para que um novo eu mais maduro venha a existir em seu lugar. É um novo nascimento.

Dizem que o período que antecede o Retorno é o mais difícil, assim como os momentos que antecedem a morte de uma pessoa velha ou morimbunda; esses momentos da aproximação podem ser dolorosos, muito pior que a morte em si, que vem como um alívio. Enxergar a morte se aproximando pode ser assustador, o fim de uma identidade, o fim da vida... Saturno grande e opressor crescendo no nosso céu, obscurecendo nossa visão. Mas depois que passamos pelo véu, tudo é diferente.

Em homenagem ao meu Retorno, fiz um retrato da Mãe Saturno.



Coisas que Saturno me ensinou:

1. Amadurecimento vem com a idade, a experiência e o passar do tempo, mas também é algo que precisa ser ativamente buscado. Nem sempre é algo que automaticamente cai no seu colo com a idade. É preciso refletir sobre os acontecimentos da vida, buscar desvendar suas lições, investigar seus mistérios, olhar muito pra dentro, perscrutar o escuro. Pode-se ficar mais velho e nunca amadurecer o que se precisava, se não tiver essa vivacidade interior.

2. Se você não aprende uma lição, não desfaz um nó, sua vida (que é só mais uma forma de dizer "você mesmo") te coloca em situações da mesma natureza repetidamente, até você identificar o que precisa aprender. Mas não apenas isso: mesmo com uma lição aprendida, você pode voltar a viver situações semelhantes, e achar que está andando em círculos, mas na verdade isso acontece para que você aprenda a ver novos aspectos daquela situação, que não viu antes - talvez até porque ainda não tinha condições e aprendizado para vê-las e precisava avançar algumas etapas para conseguir enxergar. Na vida ocorrem ciclos, mas não é repetição do mesmo: nem você nem as águas do rio em que entra são os mesmos, apesar de ainda ser aquele rio.


3. O sentido de uma situação só pode ser percebido depois que o ciclo se completa, e você pode contemplar o quadro inteiro. Enquanto tiver peças faltando, não será possível tirar dali um sentido completo. Isso tanto vale para situações pontuais, para fases da vida, e para a vida como um todo: se ainda estamos na metade do caminho, ainda dentro do labirinto, não tem como visualizarmos o caminho do labirinto inteiro, visto de cima. Portanto, não é preciso se angustiar por não compreender algo; melhor prestar atenção por onde se anda e o que se pode aprender por ali, quais peças se pode juntar.

4. Não se pode acelerar o tempo e seus ciclos. Se um tempo é necessário para que algo se resolva, não adianta ter pressa, bater o pé, chorar, esbravejar com o punho aos céus. O tempo tem seu compasso. Cada estação sucede a outra, no momento que deve vir. Não se pode apressar o amadurecimento de uma fruta. A paciência nos é ensinada por bem ou por mal. Por isso tantos consideram Saturno um tirano opressor, porém, isso é apenas porque os humanos são teimosos e arrogantes, querem sobrepujar as forças da natureza, e ficam descontentes por não poderem...

Versão alternativa, com arco e um símbolo. Fiquei na dúvida se incluía esses elementos ou não, preferi deixar sem para que desse uma impressão maior da amplitude do céu escuro.

6 comentários:

  1. Também me lembrou bastante o conto da "mulher esqueleto"
    vida-morte-vida em relação a nós mesmos, nossas fases, nosso renascer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AH, e a ilustração ficou incrível! Gosto da primeira versão e de ficar imaginando a imensidão do céu, a solidão e a sabedoria de Mãe Saturno..

      Excluir
  2. Que bonito, Caroline! Tanto o texto, quanto a pintura. Gostei mais da versão sem arco, mas as duas ficaram boas. A segunda parece uma carta de tarô ou algo assim. Também sou capricorniana e também fiz 30 (em Dezembro). Parabéns pelo aniversário e que os 30 venham com mais maturidade alegria e não resistência (é o q eu desejaria pra mim). ;)

    ResponderExcluir
  3. Oi Caroline! :)
    Bem, eu já devo ter escrito isso aqui no seu blog, mas novamente li sua postagem e tive o mesmo sentimento das outras vezes: suas palavras me inspiram.

    Suas palavras resgatam a Deisy de dentro dos padrões, de dentro do senso comum, de dentro do que é aceitável ou não e me trazem à liberdade, permitindo que meus próprios sentimentos floresçam, minhas próprias opiniões, meus próprios desejos e vontades apareçam com total liberdade.

    Não sei, mas acho lindo e inspirador você colocar suas opiniões e sentimentos de um modo tão puro e verdadeiro, coisa que eu tenho um pouco (ou muito?) de medo de fazer, por receio de não ser aceita ou compreendida.

    Ahm, e sobre sua postagem, gostei muito da sua frase "Pode-se ficar mais velho e nunca amadurecer o que se precisava, se não tiver essa vivacidade interior", porque vejo muita gente assim, que trabalha tanto o exterior, dá tanta atenção, que acaba esquecendo-se do que tem por dentro...

    Outra parte que gostei muito foi a que aos 30 anos você se sente você mesma, que está diferente do que era. Bem, essa frase me deixou deslumbrada, fascinada, por pensar que chegarei nessa idade (ou antes ou depois) e experimentarei o mesmo sentimento; me dá esperanças de que algum dia, enfim, conseguirei ser protagonista da minha própria peça.

    Caroline, desejo que você tenha bons dias e novas experiências em seu renascimento. ^^

    ResponderExcluir
  4. SOi Carol (posso te chamar assim?)! Acompanho o blog há um tempo, leio os posts e nunca comento por não saber direito o que comentar. Seus posts tem uma magnitude e uma sabedoria por trás tão envolventes que eu sempre fico pasmada e acabo saindo daqui sem deixar minha opinião. O que não é por mau, eu juro.

    Sobre esse post - que eu fiquei de boca aberta novamente - eu só digo que levo aprendizados daqui e que a ilustração ficou linda, como todas que você dedica seu tempo.

    Tá rolando uma pesquisa de público lá no Quinta Gaveta! Sua opinião é muito importante.
    Beijo, Selma Barbosa | Quinta Gaveta

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Caroline!

    Tem recomendei para a TAG Descobrindo novos BLOG's, depois dá uma conferida.

    http://www.mateuscena.com.br/2016/03/tag-descobrindo-novos-blogs.html

    Parabéns o desenho ficou muito denso e bonito.

    ResponderExcluir

Real Time Web Analytics