sexta-feira, 5 de junho de 2015

Desenhos automáticos

A primeira vez que ouvi falar em "desenhos automáticos" foi pela obra de Austin Osman Spare, artista e ocultista inglês. De seu artigo, "Automatic Drawing", traduzo:

"Um rabisco "automático" de linhas torcidas e entrelaçadas permite que o germe de uma ideia na mente subconsciente se expresse, ou, pelo menos, sugira-se à consciência. A partir desta massa de formas procriativas, cheias de falácia, um débil embrião de ideia pode ser selecionado e treinado pelo artista para seu pleno crescimento e poder. Por esses meios, podem as profundezas mais profundas da memória ser utilizada e as fontes das instinto aproveitadas.No entanto, não pense que uma pessoa que não seja um artista possa por estes meios não se tornar um: mas os artistas que estão com dificuldades na expressão, que se sentem limitados pelas convenções rígidas do dia e desejam a liberdade, mas não a atingiram, estes podem encontrar nisto um poder e uma liberdade não detectáveis em outro lugar. Assim, escreve Leonardo da Vinci: - "Entre outras coisas, não vou hesitar em descobrir um novo método de assistir uma invenção; que, embora insignificante na aparência, pode ainda ser de serviço considerável em abrir a mente e colocá-la sobre o aroma de novas ideias, e é este: se você olhar para alguma parede velha coberta com sujeira, ou a aparência estranha de algumas pedras listradas, você pode descobrir várias coisas como paisagens, batalhas, nuvens, poses incomuns, dobras de tecido, etc. Desta massa confusa de objetos a mente será equipada com abundância de modelos e temas, perfeitamente novas."

Um desenho automático é feito de forma não-planejada, deixando que os movimentos do subconsciente sobre a mão formem imagens abstratas ou surreais sobre a superfície a estar sendo desenhada ou pintada, livres do controle racional. A técnica é muito utilizada por surrealistas e permite que se manifeste um componente de "aleatoriedade", ou a expressão de mensagens subconscientes, livres do pensamento tradicional e da mente racional e condicionada. Além disso, permite-nos nos liberar das expectativas de tornar uma obra "correta" ou "boa", e simplesmente permiti-la acontecer, entrando em maior contato com nossas emoções, intuições e a própria experiência sensorial de desenhar ou pintar.

Decidi experimentar, e produzi algumas folhas com rabiscos.

 


As da primeira foto são bem abstratas e as considerei só como aquecimento... na segunda foto, tentei deixar com que algo como figuras pudessem surgir.
Selecionei os dois últimos desenhos para continuar trabalhando neles, agora de forma mais planejada, aproveitando apenas o "germe da ideia" que surgiu na fase automática. Eles ficaram assim:



Também fiz um desenho mais figurativo e definido - não foi tanto na linha "deixar a mão fazer rabiscos sem pensar", e sim fazer formas e padrões, mas sem planejar ou raciocinar. Provavelmente polirei um pouco este desenho para disponibilizar para tatuagem mais tarde.



Foi uma experiência que achei bastante fascinante pois de fato foram imagens que eu não teria criado de forma "consciente". Frequentemente sinto que minha criatividade fica bloqueada pelos processos da mente consciente, condicionada a procurar seguir determinadas regras, leis e expectativas aprendidas. Nessas horas ou em qualquer outra, o exercício de libertar-se dessas amarras e deixar que as formas mais profundas e "não-domesticadas" do interior da mente possam emergir é uma fonte infinita de surpresas.

2 comentários:

  1. Olá Caroline! Eu gostei muito do seu post! De uns tempos para ca eu comecei a desenhar muitas formas abstratas. Conversando com uma amiga eu disse que quando eu fazia os desenhos abstratos era uma forma mais livre de desenho, eu não 'pensava' para fazer as linhas, elas simplesmente saiam, não conseguia explicar para ela. Esse post me esclareceu muitas coisas e colocou em escrita coisas que eu pensava mais não conseguia falar. E eu adorei ler sobre isso! (:
    Seus desenhos ficaram ótimos! Gostei bastante dos abstratos!
    Parabéns pelo post, já li ele várias vezes! hahaha

    http://inicioemcor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Janaina! Fico muito feliz que tenha gostado do post! Pior é que eu não costumava gostar de arte abstrata anos atrás, e hoje aprendi a apreciar e valorizar! E com essa ideia do "emergir do inconsciente" fica ainda mais interessante, né?
      Aliás, seus desenhos são muito lindinhos! =)
      Boas artes! ♥

      Excluir

Real Time Web Analytics