sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Penas Mágicas

"Os Xamãs costumam guardar penas que são colhidas ao longo do tempo e quando sentem que é o momento, escolhem uma pena e dormem com ela. Fazem e evocação da energia do animal, colocam o intento de se projetar junto com ele, para que o animal possa mostrar neste Vôo Xamânico um determinado o caminho necessário e desejado naquele instante, para obter ensinamentos."

(Vitor Hugo França)

Junto penas onde quer que eu vá. Em viagens, passeios, em parques ou nas ruas da cidade, em todo lugar pode-se encontrar uma pena de pássaro. Tenho guardadas incontáveis penas, de todos os tamanhos, formas e cores, e acho que são minha coisa favorita de se colecionar.

Gosto especialmente das iridescentes e sempre sinto como se tivesse recebido um presente mágico quando encontro alguma pena com iridescência. E esses dias realmente aconteceu uma magia!
Eu estava olhando algumas fotos guardadas e me deparei com uma foto de uma pena de magpie ("pega-rabuda" em português... sim, pois é) que eu tinha salvo. Era linda, iridescente e colorida, uma pena da cauda, e eu quis muito ter uma pena daquela. Até fui procurar na internet pra comprar, mas só encontrei penas provenientes de caça, apesar de ser regulamentada, não queria penas com essa proveniência. Então deixei pra lá.

Uns dias antes, a Giovana, que já havia me enviado de presente algumas penas de pombos que ela recolheu em Dublin, disse que estava com algumas penas novas que tinha pego por lá, numa época diferente do ano, portanto penas diferentes, e perguntou se eu queria... Penas nunca são demais, então aceitei! Eis que quando o envelope chega e eu abro... ela casualmente dizia na cartinha que algumas das penas provavelmente eram de magpie. E dentre as penas havia uma pena da cauda do magpie, como a que eu havia visto na foto e desejado! Foi como mágica acontecendo, se materializando na minha frente. Sou muito grata pelo presente, tanto da Giovana quanto da sincronicidade do Universo, hehe! ♥

Ela mandou esse versinho tradicional que diz que dependendo do número de magpies que você vê juntas, pode ser sinal de boa ou má sorte!
A pena mágica de magpie...

A magpie (chamo pelo nome em inglês porque é muito esquisito falar "pega-rabuda" hahaha) é um pássaro cercado de lendas. Na Europa ela é vista como um sinal de mau agouro; no folclore italiano e francês, acredita-se que magpies se sintam atraídas por objetos brilhantes e pedras preciosas, que roubam para enfeitar seus ninhos. Na Suécia é associada à bruxaria. Na Noruega acredita-se que é um pássaro ladrão, e também é associado a seres feéricos do folclore local.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Festival Sul Americano dos Sagrados Saberes Femininos

Semana passada estive no 1º Festival Sul Americano dos Sagrados Saberes Femininos e posso dizer que foi uma experiência e tanto. Acho que eu não conseguiria dar nenhuma descrição muito objetiva do evento, porque além de já "normalmente" viver muito dentro do meu mundo particular, estou num momento muito específico em que minha consciência, observadora de mim mesma e do mundo, parece pairar suspensa no espaço... E é muito difícil descrever qualquer coisa, nesse mundo de coisas-sem-nome-nem-forma. Então enquanto estive lá eu só vivia o momento, sem buscar interpretações ou racionalizações, e só mais tarde as percepções se assentariam na minha mente.

Cerimônia maia com as abuelas da Guatemala, fotografia por Leticia Ribas.

O Festival foi um encontro com a presença de abuelas da América Latina, anciãs indígenas, líderes espirituais femininas, as chamadas mulheres-medicina, xamãs e afins, com cerimônias com plantas de poder, terapias, yoga, danças, celebrações, círculos de mulheres para troca de saberes, temazcais, tudo isso numa pousada chamada Tempero da Serra, na região de Piraquara, em Curitiba, PR.

Real Time Web Analytics