domingo, 30 de novembro de 2014

Da dualidade vem a trindade

Por motivos de instabilidade (minha única constante), eu não terminei o Inktober. Mas pelo menos nos poucos dias que fiz pude fazer umas experiências interessantes usando técnicas que até hoje havia utilizado muito pouco. Me inspirei em ilustrações alquímicas pra fazer os desenhos abaixo, em nanquim (caneta e aguada).


São desenhos que fiz no sketchbook, portanto em tamanho pequeno, então ainda gostaria de refazê-los em tamanho maior e com mais dedicação.

* * * *

Ah! Fui incluída dentre outros artistas neste post do blog Estatuária, e eu me senti muito feliz com a forma como ela descreveu minha arte! ♥

Eu geralmente não consigo descrever minha arte, coisa que até me incomoda fazer pois parece que se faço algo que utiliza linguagem visual e depois tento expressar ou explicar aquilo por palavras, acontece um conflito, uma limitação, é fazer algo muito extenso caber numa caixa muito pequena. Eu quase nunca penso em significados ou explicações completas para o que faço porque eu mesma não sei, prefiro deixar que tudo aconteça intuitivamente. Mas com frequência, outras pessoas e amigos compartilham comigo o que vêem no que faço e eu descubro interpretações que eu mesma não sabia que estavam ali. E acho isso maravilhoso.

6 comentários:

  1. Eu me encanto com os teus trabalhos, eles me passam uma energia tão intensa, fico bem ao vê-los :)
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por isso, Lidiane! Obrigada, e beijos! ♥

      Excluir
  2. Lindo blog, e lindas ilustras!
    Vou te adicionar na minhas lista de ilustradoras queridas <3
    Se puder, confere minha arte também!
    facebook.com/mandu.arts
    behance.net/thicianamandu
    thiciana.deviantart.com
    thicianamandu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooh sua arte é fofíssima, Thiciana! Gostei muito, do estilo e dos seus temas também! ♥ Vou seguir vc! Um beijão!

      Excluir
  3. Me identifiquei muito com a tua postagem: também sinto dificuldade em descrever minha arte, meu 'estilo', meu traço; vejo que outras pessoas o fazem melhor que eu, e isso me faz pensar no caminho que a nossa mensagem visual percorre do nosso cérebro para o cérebro/coração do nosso espectador :)

    Lindas ilustrações, como sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Também fico refletindo sobre isso, nessa forma de comunicação subjetiva que é a arte... cheia de mensagens secretas e únicas pra cada "ouvinte". Obrigada, Juliana! ♥

      Excluir

Real Time Web Analytics