segunda-feira, 14 de julho de 2014

Sobre bruxas e beleza


Uma coisa que me incomoda é ver bruxaria sendo hiperexplorada como fetiche ou um lance de moda e estética em ensaios fotográficos. Não por isso, eu até curto umas fotos bonitas com essa temática, acho artística, criativa e até magicamente inspirador, mas acho que o que mais me incomoda é que parece que só moças jovens, magras e brancas são usadas como representações de "bruxas". Sim, tumblr, eu estou falando de você!

Que padrões de beleza têm efeitos devastadores em mulheres não é nenhuma novidade. Acho que todas nós crescemos, em algum grau, atribuindo nosso valor pessoal à nossa aparência e beleza física. Muito disso é a fonte de nossas depressões, inseguranças, medos e sentimento de impotência e vulnerabilidade. Sempre vendo nosso corpo como inimigo, como fonte de sofrimento.

A imposição de padrões de beleza sobre a população feminina tem muito a ver com o controle e domesticação de nosso poder. Uma população feminina ligeiramente enlouquecida com a obsessão por beleza e magreza é mais frágil e controlável. É uma prisão invisível que suga nossas forças, nossa alegria, nossa vida. Estamos sempre preocupadas com sermos bonitas, com fazer a manutenção diária desta beleza, gastando nosso tempo, energia e dinheiro, muitas vezes tornando-nos doentes por conta disto (desenvolvendo transtornos alimentares, depressão, obsessão por dietas). A maioria das mulheres está o tempo todo preocupada, de alguma forma, com sua aparência, seu peso, sua juventude, quase dedicando suas vidas a permanecerem "belas". E essa é uma forma de controle efetiva e cruel. Enquanto estamos nos extenuando com essas questões, durante toda a vida, deixamos de exercer nossa criatividade, de nos relacionarmos saudavelmente, de explorarmos nossos prazeres, de realizarmos nossos projetos seja lá quais forem, de vivermos plenamente. O que estamos sacrificando por isso?

E o que isso tem a ver com bruxaria? Muito. Historicamente o poder feminino é temido, e a opressão sobre mulheres vem paralelamente à devastação e dominação da natureza. As bruxas foram queimadas por serem mulheres e por serem vistas como uma ameaça a um poder supremo, que deveria ser eliminada. Bruxas são mulheres inadequadas, vivas, desafiadoras do poder patriarcal. Bruxaria tem a ver com nos sentirmos confortáveis em nossos corpos, que comungam com os elementos, são fontes de prazer, instrumentos de nossas artes, através dos quais nos manifestamos neste mundo e experienciamos a existência. Como os outros animais, que não se importam com como parecem, apenas vivem em seus corpos e são o que são. Bruxaria é sobre nossa natureza selvagem, sobre liberdade, sobre alegria, comunhão com a natureza como parte de nós e não como algo alheio a nós a ser dominado e controlado. Bruxas não têm o dever de serem bibelôs, lindas ou agradáveis a olhares alheios (que não sabem reconhecer a beleza no que é indomesticado). Mulher alguma tem. Mulher alguma deve beleza ao mundo. Se nos enfeitarmos que não seja por medo ou subordinação, e sim por diversão e para expressarmos nossas personalidades. Que cuidemos de nossos corpos por carinho e não por penitência.

É claro que não é fácil se libertar dessas amarras que nos foram impostas, e talvez seja um trabalho de uma vida inteira. Mas acredito que é a direção certa a seguir se quisermos entrar em contato com nossa própria fonte de poder e alegria inesgotáveis.

25 comentários:

  1. adorei o texto, e a associação com a bruxaria. Nunca tinha pensado nisso, até divulguei parte do que você escreveu no facebook, realmente me tocou profundamente. Fiquei feliz em poder enxergar algo novo e inusitado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Isabella, obrigada <3 Aliás, segui sua página de arte lá!

      Excluir
    2. haha, espero q seja a página do facebook, as outras estão bem desatualizadas. :))

      Excluir
  2. Sempre associei a bruxaria a essa quebra dos padrões e principalmente os de beleza. Quando entro nas vendas de umbanda e vejo mulheres """"feias"""", com o cabelo selvagem, as roupas largas e os passos firmes, sei que tenho uma bruxa na minha frente. Elas sabem do poder "no corpo". Das rugas, das cicatrizes, de toda a história que há em nós. Sábias mulheres. E suas palavras. Gratidão por elas, Carol.
    Beijo imenso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sinto toda uma alegria quando me deparo com mulheres assim, sei lá, elas me inspiram, me passam força. Não gosto quando fetichizam "bruxas" como se fossem sempre aquelas mulheres brancas, de longos cabelos negros e batom vermelho prontas para seduzir haha (nada contra as que são assim, mas...). Acho muito male gaze.
      Que delícia receber notícias suas, aliás... <3 Um beijo grande!

      Excluir
  3. Carol, te sigo no fb e adoro seus posts :) te linkei no meu blog, tá? http://letrificando.wordpress.com/2014/07/14/leituras-online-5/ bjos

    ResponderExcluir
  4. Concordo com tudo e assino embaixo . Muito bom mesmo texto.
    Beijão!
    ---
    http://jacifoiodiscovoador.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. PS: Apesar de saber que você também é Caroline, te chamei de fada mariposa no post porque acho esse nick muito fofo <3

    ResponderExcluir
  6. Incrível. Apesar de ser um individuo do sexo masculino, nao pude deixar de me identificar com esse texto
    Isso me lembra um poemas que fiz a dois anos atras, que fala sobre um distúrbio alimentar U.U

    MIA

    Desce o dedo agudo.
    Jorra o fluido em direção ao chão.
    O dedo toca a úvula.
    E já ouço o meu coração.
    Ó corpo sagrado.
    Meu pecado foi a gula.
    Só me deixe emagrecer.
    Antes que a dor me engula.
    Eu comi o mundo.
    E bebi bem mais que um rio.
    Mais não há comida.
    Que preencha esse vazio.
    E a garganta queima.
    Mais a alma queima mais.
    Eu vomito o meu jantar.
    E o amor dos meus pais.
    Minha mãe nem liga.
    O meu pai nem quer me ver.
    Mais tá tudo bem.
    Desde que eu possa emagrecer.
    Eu serei bonita.
    Dentro dessa vida amarga.
    Pois toda angustia e dor.
    Desce junto com a descarga.

    ResponderExcluir
  7. Ótimas ideias, principalmente na questão sobre aparência e estética!

    ResponderExcluir
  8. Uma excelente artista e eximia comentarista. Verdadeiramente tudo parece ser padronizado com a "beleza comercial" e obsessa que muitas mídias expõem.

    ResponderExcluir
  9. Oi desenhista, gostei do seu texto. Me escreve.

    jeremiasdepaula@gmail.com

    ResponderExcluir
  10. Hoje, é um dia que me peguei lembrando de bruxarias. Sou muito ligada a isso, sempre fui, mas a gente esquece, esquece que bruxas são aquelas que fazem o que acham melhor para a vida delas, e vivem bem realizando suas magias por ai, e se encontrar alguém para acompanhar ela nas suas bruxarias bem, se não amém. E vivem bem, com seus gatos pretos e suas poções loucas e lindas. O brigada por despertar a bruxa que existe em cada uma!!!!! atenciosamente, Helena

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pelas palavras e pela reflexão, Caroline. Expressou muitas opiniões que eu tinha sobre os dois assuntos mas que nunca articulei!

    ResponderExcluir
  12. Seus textos são sempre tão inspiradores quanto a sua arte, Carol. Você honra toda essa beleza mística contida na história das bruxas com o seu talento para escrever e criar. Parabéns e obrigada pela inspiração. Beijos.

    ResponderExcluir
  13. http://m.youtube.com/watch?feature=youtube_gdata_player&v=i96WR8dl_qs
    Uma moça, que enquanto canta, tem nas mãos, uma folha seca.Não seria tão linda se não me recordasse você.Para dizer de todo o bem que eu possa desejar a uma boa pessoa...Feliz.Muito.Sua forma de expressar a arte, conforta muitos corações, tal qual esse meu, que agora, também é seu.

    ResponderExcluir
  14. A banda mais bonita da cidade- Uma boa pessoa.
    É a música que canto hoje pra você, Carol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michele, nem sei o que falar. Quanta doçura. Agradeço muito esse carinho. <3

      Excluir
  15. Maravilhoso! Tirou as palavras da minha boca. Gostaria de continuar sua linha de raciocínio com mais algumas palavras, farei um post no meu blog sobre esse estereótipo distorcido das bruxas, posso usar seu texto e blog como referência? Obrigada desde já, estou encantada pelo seu blog.
    http://thedaughterofhecate.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angie, acabei demorando todo esse tempo pra ver seu comentário, peço desculpas por isso! Mas fique à vontade para escrever e usar meu texto como referência sim, obrigada! ♥

      Excluir
  16. Maravilhoso esse texto, gostei muito, eu tenho TA e a Bruxaria tem me ajudado muito a superá-lo, inclusive pelas formas de ver a Grande Mãe, que se analisarmos, as faces da Deusa não têm esse padrão da sociedade, existe uma multiplicidade de formas e aspectos e cada um é especial.

    Ela é a Guerreira, forte, cheia de vitalidade e energia, é também a Matrona que nos dá o alimento, com grandes formas mexendo seu caldeirão Sagrado, a anciã sábia que nos ensina belas lições e também a mulher sensual, que vive sua sexualidade e assume seus desejos, mas respeitando o seu próprio corpo.

    Também não perde sua delicadeza, tem seu lado mais romântico e delicado, enfim, a Deusa tem várias nuances, Ela não se encaixa em um padrão.

    Por que não representarmos assim?

    Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariana! Exatamente... os arquétipos femininos são tão múltiplos, ricos e belos! E a nossa cultura quer podar o que há de rico, poderoso e selvagem em nós, nos domesticar, nos tornar atemorizadas. Acredito que a bruxaria e o contato com a natureza podem sim ajudar muito a nós, mulheres, que fomos ensinadas a odiar nosso corpo, nossa parte animal, nossa natureza. Te desejo força e liberdade. Obrigada, fico feliz que tenha gostado. ♥

      Excluir
  17. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Real Time Web Analytics