quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Pele de cigarra


Outro dia achei um exoesqueleto de cigarra grudado na árvore. Eu nunca tinha visto um, achei tão legal! Ainda está com pedacinhos de musgo grudados nas garrinhas da frente. Eu achei incrível porque ele tem todos os detalhezinhos do inseto, até tirei uma foto macro pra dar pra ver os pelinhos na "cara" dele. É como se sua pele congelasse no tempo e você saísse de dentro dela. Ela fica praticamente intacta, fora a abertura nas costas por onde o bichinho saiu.

Eu gostei de ver as "bolhas" que seriam os olhos, são muito fininhas porém bem resistentes. Me fez lembrar do filme Nausicaä do Vale do Vento, em que se extrai os olhos dos exoesqueletos de insetos gigantescos, que formam cúpulas extremamente resistentes, e são usados para fazer diversas ferramentas e objetos.



Também achei esse gif de uma cigarra saindo de sua pele antiga:


Bem que eu queria ter essa capacidade de trocar de pele, como cigarras e cobras, e sair com uma novinha e fresquinha, renovada. Não podemos fazer isso com o corpo, mas sempre podemos deixar pra trás partes de nós que estão impedindo ou sufocando nosso crescimento.

16 comentários:

  1. Na minha tia sempre tinha essas "casquinhas" morria de medo, interessante que nunca vi o inseto da "casquinha" vivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca vi tbm... queria muito achar um mortinho pra pegar as asinhas, são tão lindas, haha!

      Excluir
  2. quando eu estava nas primeiras séries do fundamental eu adorava ir ao bosque do colégio encontrar essas casquinhas e "pregar" no meu casaco de lã...
    nessa época também tinha bastante daquelas borboletas azul-metálico do tamanho de passarinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, que fofura pregar elas no casaco. Viram broches naturais =)
      Eu acho que só vi essa borboleta azul grandona uma única vez, quando tava na escola e era bem pequena. Fiquei encantada, vi ela meio de longe mas vi as asas refletirem no sol, me pareceu enorme. Sonho em ver de novo!

      Excluir
  3. Em determinada época do ano enche dessas casquinhas aqui em Brasília...

    ResponderExcluir
  4. Quando eu era criança eu ia a um lugar com meus coleguinhas que em determinada época era cheio de pele de cigarra pra todo lado, às vezes a gente esbarrava em uma sem querer e saia gritando achando que algum bicho estava nos atacando... Mas era legal juntar as pelinhas que iamos encontrando... Tenho saudade dessa época.

    ResponderExcluir
  5. Ouvi dizer que da pra fazer chá medicinal com a pele da cigarra

    ResponderExcluir
  6. Que linda, Carol, tenho um potinho cheio delas, são super detalhadas mesmo. :D

    ResponderExcluir
  7. como pode ter pessoas que não enxergam beleza nesses bichinhos! adorei o gif

    ResponderExcluir
  8. Uma vez meu pai me falou sobre essa pele de cigarra e que tinha numa escola mas eu meio que não acreditei porque não consegui imaginar como seria essa pele, apesar de já ter visto e lido sobre isso em um livro de ciências. Quando a gente chegou lá, meu pai me levou até a árvore e lá eu vi várias peles de cigarra! É tão encantador porque parece que o inseto está lá, mas não está. Ele até colocou uma na minha mão mas acho que eu não podia levar pra casa :\ Mas cheguei em casa e pesquisei sobre isso.

    Eu acho insetos super interessantes principalmente os que são grandes e coloridos. Uma vez apareceu uma barata d'água aqui em casa e como ela era grande, dava pra ver todos os detalhezinhos dela. É tão interessante.

    Como esse gif é espetacular!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "parece que o inseto está lá, mas não está."
      É bem isso! Por isso falei que é como se o inseto tivesse congelado no tempo, aí a essência dele vai embora, mas aquela "estátua de pele" fica lá pra sempre... é mto legal =)
      Adoro observar insetos de perto!

      Excluir
  9. Elas não trocam exatamente de pele e sim se transformam. Antes desse processo elas são seres terrestres que vivem a vida inteira debaixo da terra, então elas sobem nas árvores, entram em uma espécie de metamorfose (mas não passa pelo período de pupa) em que elas adquirem asas e vivem por pouco tempo depois de ter vivido anos debaixo da terra. (talvez você já soubesse disso, mas como você comparou com cobras eu tive que explicar que não é bem assim)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kon! Sim, vc tem razão. Eu coloquei cigarras e cobras no mesmo balaio mas a transformação é bem diferente, de fato. Na hora q escrevi eu tava pensando mais poeticamente, então nem me atentei à diferença, hehe, mas obrigada pela correção de qualquer forma!

      Excluir
  10. Eu adorava coletar vários desses na temporada de muda quando era criança. Em Campinas era fácil encontrar os exoesqueletos, mas só uma vez encontrei uma cigarra adulta. Ela estava viva, mas não se mechia, então levei pra casa. Ela não resistiu muito, e se juntou aos outros pequenos da coleção de insetos que tinha.

    ResponderExcluir
  11. Eu adorava coletar vários desses na temporada de muda quando era criança. Em Campinas era fácil encontrar os exoesqueletos, mas só uma vez encontrei uma cigarra adulta. Ela estava viva, mas não se mechia, então levei pra casa. Ela não resistiu muito, e se juntou aos outros pequenos da coleção de insetos que tinha.

    ResponderExcluir

Real Time Web Analytics