terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Tesourinhos do Parque Barigui


Fui no Parque Barigui hoje e essas são as coisinhas que eu trouxe de lá. Uma pena de pássaro desconhecido (provavelmente galinha d'água, já que tinha muitas lá), uma pena preto-azulada de tapicuru-de-cara-pelada (brilhava tanto na grama que pensamos ser um pedaço de plástico azul), uma pluminha de coruja-buraqueira, uma bolota da mesma coruja (esses palitinhos são pernas de algum inseto, talvez um gafanhoto), e um raminho de uma planta com frutinhas vermelhas que não sei o que é.
Vi também pela primeira vez um casal de cardeais, lindos, lindos, com topetinho bem vermelho. Pena que eu não tinha levado minha câmera, só tinha o celular, que tirou umas fotos horríveis e sem muito uso...

Também vimos... isto:

Um peixão comendo uma enguia! Ou uma cobra, sei lá. Também não sei que tipo de peixe é esse. Ele só tava lá parado, com essa cobrinha pendurada pra fora, sem fazer nada. As galinhas d'água ficavam olhando pra ele e conversando umas com as outras, deviam estar incomodadas por algum motivo, hahaha. Elas tavam com pintinhos (umas coisinhas pretas de pelúcia e careca vermelha que faziam um chiado parecido com dinossaurinhos).

PS: a Flavia Carvalho me disse que o peixão é uma traíra (Hoplias sp.). Valeu! ;)

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Crystalline

Duas coisas de que sempre gostei e que me maravilhavam demais quando eu era pequena: cristais e iridescência.
Eu já disse em outro post que quando a gente é criança, parece que temos uma visão mais aguçada das coisas, de detalhes, de sensações que as coisas nos causam.
Cristais e iridescências sempre me causaram uma sensação mágica, quase sobrenatural, como se fossem elementos que nos conectassem a outro mundo. Qualquer brilho cristalino me maravilhava. Como quando andamos em certos tipos de calçada que possui diversos pequenos pontos brilhantes que faíscam à medida que andamos. Ou as asas transparentes de diminutos insetos que refletem as cores do arco-íris. Ou pequenos arco-íris que encontramos dentro de cristais de quartzo.
Eu ia brincar na areia do parquinho e observando os grãos bem de perto, encontrava pequenos fragmentos cristalinos, e achava maravilhoso que havia cristais escondidos na areia. Imagine, hoje em dia jamais teria essa percepção tão fina... parece que quando somos crianças, temos olhar de microscópio.

Pensando nessas sensações resolvi fazer uma pintura com cristais.
Quer dizer, bom, primeiro eu quis tentar desenhar uma asa de inseto que tivesse iridescência e pintar com aquarela, ver se conseguia captar o efeito. Encontrei uma foto para referência e fiz... foi um completo desastre, hehehe! Não consegui captar bem as cores nem o efeito. Aquarela é muito difícil por serem cores transparentes, me dou melhor lidando com cores opacas. De qualquer forma, aí está:


Aí desenhei essa garota com cristais na cabeça, do lado. Mais promissor! Coloquei algumas cores digitalmente:

Já tinha decidido transformar em pintura digital, fazia muito tempo que não pintava digitalmente e precisava tirar as teias.

Um screenshot do começo dos cristais:


Como a pintura está agora:


(pra quem não sabe, WIP significa "work in progress", escrevo isso na imagem pra indicar que não está terminada!)

E deixa eu dizer, desenhar e pintar cristais dá um trabalhão...
Mais tarde posto a pintura terminada. :)

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Pele de cigarra


Outro dia achei um exoesqueleto de cigarra grudado na árvore. Eu nunca tinha visto um, achei tão legal! Ainda está com pedacinhos de musgo grudados nas garrinhas da frente. Eu achei incrível porque ele tem todos os detalhezinhos do inseto, até tirei uma foto macro pra dar pra ver os pelinhos na "cara" dele. É como se sua pele congelasse no tempo e você saísse de dentro dela. Ela fica praticamente intacta, fora a abertura nas costas por onde o bichinho saiu.

Eu gostei de ver as "bolhas" que seriam os olhos, são muito fininhas porém bem resistentes. Me fez lembrar do filme Nausicaä do Vale do Vento, em que se extrai os olhos dos exoesqueletos de insetos gigantescos, que formam cúpulas extremamente resistentes, e são usados para fazer diversas ferramentas e objetos.



Também achei esse gif de uma cigarra saindo de sua pele antiga:


Bem que eu queria ter essa capacidade de trocar de pele, como cigarras e cobras, e sair com uma novinha e fresquinha, renovada. Não podemos fazer isso com o corpo, mas sempre podemos deixar pra trás partes de nós que estão impedindo ou sufocando nosso crescimento.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Novo website


Finalmente parei de enrolar e fiz o que estava pra fazer há muito tempo: um site oficial para minha arte!
Ainda deve faltar arrumar umas coisinhas, e outras coisas adicionarei com o tempo, mas no todo, acho que tô feliz com ela. Espero que gostem! :) É só clicar na imagem para entrar.
Real Time Web Analytics