segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Sailormun


Fiz esse desenho faz um tempinho, mas acho que não cheguei a postar aqui no blog. Como acabei de mexer nele e arrumar umas coisinhas, estou postando agora.

É a Sailor Moon!!! Eu nunca gostei do cabelo amarelo-ovo da Sailor Moon, e como ela é uma princesa/guerreira da Lua e tudo mais, acho que combina um visu meio albino, com cabelos branquinhos. E ao invés daquelas pedras vermelhas do uniforme dela, coloquei pedras-da-lua, porque, né. E fiz a roupa ligeiramente vitoriana porque sim.

Eu amava Sailor Moon. Nossa. Era uma daquelas coisas absolutamente mágicas da infância/pré-adolescência, mas cuja magia só funciona enquanto você tem aquela idade. Digo, se o desenho passasse hoje em dia e eu assistisse pela primeira vez, eu provavelmente não ficaria tão empolgada.

A gente se encanta tão facilmente com coisas simples quando somos mais novos, é como se tivéssemos um paladar super apurado e aos poucos fôssemos perdendo a capacidade de sentir os gostos. Mas no caso, é um paladar de emoções. Lembro que quando eu era criança, todas as coisas pareciam muito mais próximas, é como se eu mergulhasse nelas, em todas as coisas que eu observava. A magia borbulhava na superfície do mundo, e eu enxergava as coisas do centro do peito (do coração, na verdade, mas quando a gente fala em coração parece que ninguém nos leva muito a sério, nos acham piegas. Mas é, do coração), como se meus olhos estivessem ali e não na cabeça. Eu enxergava as coisas com o sentir. Então tudo era bem mais intenso. Lembro das sensações que eu tinha quando encontrava alguma pedrinha brilhante, ou quando via a ilustração das fadinhas da capa do livro "Fadas" de Froud & Lee, e a asa transparente da fadinha me dava uma sensação... que não dá pra explicar. Mas era como se toda coisa bonita que eu visse fosse absorvida e ressoasse lá dentro, e me iluminasse por dentro.

A gente cresce e parece que fica mais exigente, racional, anestesiado. Como diz Rubem Alves (no livro lindo que ainda estou lendo, devagarinho pra durar mais): "As crianças já nascem sabendo. Quando elas, através da educação, são transformadas em seres úteis, o Paraíso lhes é roubado: são obrigadas a esquecer do brinquedo e a viver no mundo do trabalho."


De qualquer forma, guardo esse desenho no coração pra toda a vida.
Desenhei a Sailor Moon, mas a minha preferida era a Sailor Jupiter, porque ela era alta e forte e eu queria ser igual ela.
Real Time Web Analytics