terça-feira, 3 de abril de 2012

A saga da lagarta

Minha mãe me trouxe umas flores do jardim da minha avó, pra eu secar e colocar nas embalagens das encomendas das bijuterias que faço.
Por engano, ela me entregou junto um galhinho de manjericão.
Só percebi que tinha uma lagartinha verde ali bem depois, quando vi o galhinho se mexer, com o canto dos olhos.

A qualidade das fotos não tá muito boa porque tinha pouca luz.
Coloquei ela num pote de vidro enquanto pesquisava na internet sobre como cuidar de uma lagarta.
Procurei descobrir sua espécie pra ver que borboleta ou mariposa ela viraria. Descobri que ela vai virar uma mariposa da família Sphingidae, só não sei exatamente que espécie.

Com o passar das horas, a bichinha começou a mudar de cor e ficar mais escura. Achei estranho e fui pesquisar também... não achei muita informação a respeito, mas parece que isso poderia significar 2 coisas: ela está prestes a formar seu casulo, ou prestes a morrer. Torci pra que fosse a primeira alternativa!

Atrás do vidro dá pra ver a baguncinha básica da minha mesa...
No entanto, ela só foi escurecendo mais até ficar marrom, quase preta. E mal comia as folhinhas de manjericão que estavam ali disponíveis... ficava quietinha e se mexia de vez em quando.
No dia seguinte, achei que ela tinha morrido. Só que quando tocava nela, ela se mexia, então fiquei esperando pra ver o que acontecia.
O manjericão já estava murchando e secando, e pelo que sei, as lagartas só comem plantinhas frescas. Tentei dar um pedaço de couve, mas ela nem ligou. Quando começam a comer um tipo de folha, elas não aceitam outras, mesmo que sejam plantas que sua espécie normalmente coma.

(aliás, essa deve ser uma lagarta deliciosa, com gostinho de manjericão...)

De repente ela ficou mais ativa, ficou andando pelo terráreo e eu tive esperanças de que ela sobreviveria. Ela parecia estar procurando comida, mas não dava bola pras folhas murchas de manjericão.
Pesquisei mais um pouco e descobri que, aparentemente, essa espécie de lagartas se enterram na terra pra formar a pupa. Corri e assaltei um vaso, colocando um bocado de terra no fundo do vidro. A lagarta deu uma acordada, passeou por ali, mas voltou a ficar quietinha no galhinho. Também ofereci folhinhas de outras plantas que tinha mas ela nem tchum.

O terráreo improvisado!
 Hoje fui comprar uma mudinha de manjericão pra dar pra ela! Coloquei umas folhinhas perto dela mas ela parecia adormecida... então resolvi colocar logo o vasinho todo dentro do terráreo e dei um empurrãozinho na lagarta pra ela ficar perto das folhas.
Não demorou muito e ela tava lá, mastigando vorazmente!

Aí eu filmei, e coloquei uma musiquinha pra ficar mais épico e emocionante:

Om nom nom nom nom...

Agora vamos ver como ela se sai! Espero muito que sobreviva e se transforme numa mariposinha.


* * *
Uma vez, achei um casulo de borboleta monarca e coloquei no terráreo toda feliz, esperando nascer uma linda borboleta.
Só que o que nasceu foram... vespas!! As vespas parasitas botam ovos na lagarta, aí a lagarta faz o casulo, e as larvinhas de vespa comem a lagarta lá dentro e furam o casulo e saem. =(
Mas só por curiosidade, esse é o casulo que eu tinha encontrado:

Tão vendo esses pontinhos brilhantes no casulo? Não dá pra ver na foto muito bem, e o casulo já tinha escurecido e perdido um pouco do brilho (antes ele era mais verdinho), mas eles são bem dourados, parecem pontinhos de ouro! Ouvi dizer que é por isso que a borboleta Monarca se chama assim, porque sua crisálida é coroada de ouro.


E aqui uma foto das vespinhas que brotaram do casulo. =( Dá pra ver o casulo ali cheio dos buraquinhos que elas fizeram pra sair. Ainda bem que o vidro tava tampado, senão as vespinhas teriam saído voando pelo meu quarto e eu ia ficar horrorizada!

É isso. Qualquer novidade com a lagarta eu atualizo aqui! =)

15 comentários:

  1. Ai que lindinha essa lagartinha, Carol! As minhas eram meio assustadoras, gigantes e marronzonas.. hahaha
    Tinha tantas no jardim que juntas faziam barulho quando comiam, parecia aquelas torres de eletricidade que ficam nos sítios, sabe? Tsssss...
    Vou acompanhar tudo por aqui, boa sorte! Adorei a musiquinha do vídeo!

    =)

    ResponderExcluir
  2. Ah, que gracinha essa postagem!!!

    Adorei a música, vc sabe qual o nome dela? Quero baixar!

    ResponderExcluir
  3. Fabi, que assustador ouvir o barulho das lagartas comendo! O_O Nem imagino como deve ser isso, mas me deu vontade de ouvir hahaha!

    A musiquinha do vídeo é do Clann an Drumm, se chama "Traditional Jigs" =D

    ResponderExcluir
  4. Boa sorte com a lagartinha!
    Quando criança encontrei uma verde peluda, achei que fosse uma pena... mas me queimou.
    Elas são realmente lindas! Ainda prefiro essas lisinhas! =)

    ResponderExcluir
  5. adorei a saga da lagarta, mas agora fiquei curioso sobre as vespas. o que vc fez com elas?

    passei parte da infância morando numa chácara no interior do Paraná. Tinha uma profusão absurda de lagartas e borboletas e mariposas. Todos os tipos, formas, tamanhos cores. Tinha muita taturana, várias cores e tamanhos. Tinha um pé de umbaúba perto do tanque com um milhão de lagartas fervilhando na copa. Quando o canto das cigarras silenciava, dava pra ouvir elas mastigando, do jeito que a Fabiana disse aí em cima. Eram do tamanho de um dedo médio e às vezes caíam no telhado e dava pra escutar os estalos pesados durante a noite. Devo muitos pesadelos àquilo. Tava sempre com alguma queimadura por brincar no mato, cheio de taturanas e tarântulas.

    ResponderExcluir
  6. Morro de medo das lagartas peludas... ouvi dizer que tem uma espécie que pode levar à morte! =( Nunca encostei em uma...
    As lisinhas pelo menos não queimam, mas mesmo assim não quis pegar essa minha lagartinha na mão haha.

    Fernando, as vespas eu soltei lá fora!
    Confesso que tenho um certo horror a muitos bichos juntos, sejam lagartas, formigas, ou qualquer inseto... ui!

    ResponderExcluir
  7. me lembra da vez q eu tinha uma lagarta de estimação e dava alface para ela até q um dia ela morreu, fiquei tão trite que fiz um funeral com todos os meu bichinhos de pelúcia e bonecas (cara deu aflição aquela parte das vespas, imagina, vc esperando uma linda borboleta ai saem vespas do casulo)

    ResponderExcluir
  8. vespinhas parasitóides são muito comuns, na verdade existem tantos empecilhos pra uma borboleta ou mariposa conseguir passar pelo casulo que é realmente fantástico que elas consigam =)

    ResponderExcluir
  9. nossa moça! vo te falar, achei voce muito legal pelos seus posts! vc trabalha cm ilustração a muito tempo?
    Amei os sues trabalhos e achei vc parecida cmgo,mas mais criativa :3

    ResponderExcluir
  10. Nossa! Isso já aconteceu com uma lagarta que eu cuidava no quintal. Eu guardei o casulo dela na cidreira, esperando que ela nascesse e saísse voando da cidreira, mas quando passaram os dias, eu vi esses buracos, e fiquei triste, sem entender o que de errado havia feito. Nunca pensaria que eram vespas :C

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde , minha lagarta está passando pela mesma situação ... Ela deixou de comer e fica enfiada na terra o tempo todo .. Será que ela vai morrer ou vai virar um casulo ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cesar, sua descrição parece ser da lagarta prestes a fazer seu casulo, mas não posso dizer com certeza... o jeito é esperar pra ver!

      Excluir
  12. Oi, eu estou na mesma situação, vi que tem uma lagarta nos ramos de manjericão que peguei, vários dias depois, pois de repente ele apareceu devorado rs... Como vc descobriu a espécie, ou o gênero? Ela demorou muito pra virar um casulo?

    ResponderExcluir

Real Time Web Analytics