sábado, 28 de abril de 2012

Pó e estrelas


E finalmente terminei o desenho da mina com seis braços. O último WIP que postei está aqui.
Já me perguntaram o significado, o por quê de ela ter os dedos escuros, o nome dela, etc, mas olha, não sei dizer nada disso. Geralmente eu faço o desenho e depois encontro os possíveis significados ou simbolismos, ou outras pessoas fazem isso. Até gosto assim. Arte é uma coisa que vem do subconsciente, pode ser uma coisa meio oracular, meio canalizada, ela pode ser uma mensagem pra você mesmo.

Eu batizei essa pintura de Dust and Stars (Pó e Estrelas. Era pra ser um título provisório, porque sou péssima pra entitular os desenhos, mas acabei gostando). Alguém comentou que ela parece ser algo sobre criação e destruição, e no final acho que se encaixa. Ela guarda suas semelhanças com os deuses hindus Shiva e Kali, que foram mesmo inspirações. O pó é o resultado final da destruição, mas também matéria de criação - do pó viemos e ao pó retornaremos. A mulher-deusa parece estar num deserto, levantando poeira com sua dança. No interior de seus cabelos (e pêlos!) e na abóboda sobre si, as estrelas brilham. Também somos feito de pó de estrelas, e elas mesmas nascem e morrem constantemente. A luz das estrelas que vemos no céu provavelmente pertence a estrelas que já não existem, são apenas um eco que chega até nós. E outras tantas estão nascendo, e sua luz levará milhões de anos até que seja vista no nosso céu. Você já se deu conta, hoje, de que está em meio a esse espetáculo colossal, com coisas gigantescas além de nossa capacidade de concepção, brilhando, nascendo, morrendo, interagindo, explodindo, criando, girando, devorando, viajando, iluminando, colorindo o espaço negro, em toda sua volta, neste exato momento?

"Se as pessoas saíssem de casa toda noite e olhassem as estrelas, aposto que a vida delas seria bem diferente", já disse Calvin (de Calvin & Hobbes).


sexta-feira, 20 de abril de 2012

Miyuki

O Marcelo viu o desenho que fiz da Adora e me comissionou pra transformar a filhota dele, a Miyuki, em fadinha também. =)

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Coleção de asas

Ataquei minha coleção de insetos mortos, tirei suas asinhas e botei em vidrinhos com rolha. Tem de borboletas, mariposas, e uma libélula. Ainda tô em dúvida se faço colares com eles ou se guardo pra mim hahaha...

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Vida-morte-vida

A minha lagarta acabou morrendo =( Tinha comprado um monte de manjericão pra ela, ela tava comendo, até que amanheceu esquisita, com um negócio verde no bumbum, como se a pele tivesse rasgado e o corpinho dela tivesse saído pra fora. Aqui uma foto, caso alguém saiba me dizer o que aconteceu:


Esperei que fosse mudança de pele, mas depois disso ela não comeu mais, murchou e ficou imóvel. Mesmo assim pensei, por algumas pesquisas e pelo que me falaram, que pudesse ser uma fase, mas ela não deu absolutamente mais nenhum sinal de vida, mesmo quando eu mexia nela. E tava tão murcha que a pele afundava. Esperei mais um tempo antes de jogar na terra seu corpinho e sua casinha improvisada... =( Confesso que fiquei triste com mais essa tentativa frustrada de ver uma borboleta ou mariposa nascer!

Lagartas são bichinhos curiosos, cheias de fases e transformações. Às vezes parecem mortas mesmo quando não estão, quando estão se preparando para mais uma transformação, uma troca de pele, gradualmente crescendo e se alimentando até ter energia suficiente pra fazer a grande metamorfose.
A vida é isso, um ciclo de vida-morte-vida, em que a morte, na verdade, não existe: a vida é contínua desde que surgiu, apenas se transformando, mudando de estado, viajando entre corpos. A morte não é o oposto da vida, ela é parte dela.

sábado, 7 de abril de 2012

Relicários & Pingentes


Fiz esses relicários e pingentes de desenhos meus! Eles estão disponíveis à venda na minha loja, a Lua Turquesa.

terça-feira, 3 de abril de 2012

A saga da lagarta

Minha mãe me trouxe umas flores do jardim da minha avó, pra eu secar e colocar nas embalagens das encomendas das bijuterias que faço.
Por engano, ela me entregou junto um galhinho de manjericão.
Só percebi que tinha uma lagartinha verde ali bem depois, quando vi o galhinho se mexer, com o canto dos olhos.

A qualidade das fotos não tá muito boa porque tinha pouca luz.
Coloquei ela num pote de vidro enquanto pesquisava na internet sobre como cuidar de uma lagarta.
Procurei descobrir sua espécie pra ver que borboleta ou mariposa ela viraria. Descobri que ela vai virar uma mariposa da família Sphingidae, só não sei exatamente que espécie.

Com o passar das horas, a bichinha começou a mudar de cor e ficar mais escura. Achei estranho e fui pesquisar também... não achei muita informação a respeito, mas parece que isso poderia significar 2 coisas: ela está prestes a formar seu casulo, ou prestes a morrer. Torci pra que fosse a primeira alternativa!

Atrás do vidro dá pra ver a baguncinha básica da minha mesa...
No entanto, ela só foi escurecendo mais até ficar marrom, quase preta. E mal comia as folhinhas de manjericão que estavam ali disponíveis... ficava quietinha e se mexia de vez em quando.
No dia seguinte, achei que ela tinha morrido. Só que quando tocava nela, ela se mexia, então fiquei esperando pra ver o que acontecia.
O manjericão já estava murchando e secando, e pelo que sei, as lagartas só comem plantinhas frescas. Tentei dar um pedaço de couve, mas ela nem ligou. Quando começam a comer um tipo de folha, elas não aceitam outras, mesmo que sejam plantas que sua espécie normalmente coma.

(aliás, essa deve ser uma lagarta deliciosa, com gostinho de manjericão...)

De repente ela ficou mais ativa, ficou andando pelo terráreo e eu tive esperanças de que ela sobreviveria. Ela parecia estar procurando comida, mas não dava bola pras folhas murchas de manjericão.
Pesquisei mais um pouco e descobri que, aparentemente, essa espécie de lagartas se enterram na terra pra formar a pupa. Corri e assaltei um vaso, colocando um bocado de terra no fundo do vidro. A lagarta deu uma acordada, passeou por ali, mas voltou a ficar quietinha no galhinho. Também ofereci folhinhas de outras plantas que tinha mas ela nem tchum.

O terráreo improvisado!
 Hoje fui comprar uma mudinha de manjericão pra dar pra ela! Coloquei umas folhinhas perto dela mas ela parecia adormecida... então resolvi colocar logo o vasinho todo dentro do terráreo e dei um empurrãozinho na lagarta pra ela ficar perto das folhas.
Não demorou muito e ela tava lá, mastigando vorazmente!

Aí eu filmei, e coloquei uma musiquinha pra ficar mais épico e emocionante:

Om nom nom nom nom...

Agora vamos ver como ela se sai! Espero muito que sobreviva e se transforme numa mariposinha.


* * *
Uma vez, achei um casulo de borboleta monarca e coloquei no terráreo toda feliz, esperando nascer uma linda borboleta.
Só que o que nasceu foram... vespas!! As vespas parasitas botam ovos na lagarta, aí a lagarta faz o casulo, e as larvinhas de vespa comem a lagarta lá dentro e furam o casulo e saem. =(
Mas só por curiosidade, esse é o casulo que eu tinha encontrado:

Tão vendo esses pontinhos brilhantes no casulo? Não dá pra ver na foto muito bem, e o casulo já tinha escurecido e perdido um pouco do brilho (antes ele era mais verdinho), mas eles são bem dourados, parecem pontinhos de ouro! Ouvi dizer que é por isso que a borboleta Monarca se chama assim, porque sua crisálida é coroada de ouro.


E aqui uma foto das vespinhas que brotaram do casulo. =( Dá pra ver o casulo ali cheio dos buraquinhos que elas fizeram pra sair. Ainda bem que o vidro tava tampado, senão as vespinhas teriam saído voando pelo meu quarto e eu ia ficar horrorizada!

É isso. Qualquer novidade com a lagarta eu atualizo aqui! =)
Real Time Web Analytics