terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Os chifres do Salvator Mundi


Quando descobriram o Salvator Mundi de Da Vinci, fiquei fascinada por ele na mesma hora. Não só pela beleza da pintura, mas também pelo ar misterioso que ela possui, o rosto onírico de Jesus, a transparência límpida da bola de cristal. Enfim - achei definitivamente mágico.

Resolvi cometer a "heresia" de fazer uma versão "pagã" do Salvator Mundi. Acho que chifres caem muito bem nele. Admito que também acho divertido brincar com as concepções cristãs de que chifres são algo demoníaco - e antes que um destes cristãos me acuse de "profanar" seu ídolo, vale lembrar que as entidades pagãs anteriores ao cristianismo foram todas apropriadas e demonizadas por esta nova religião. E transformou-se no Diabo cristão a imagem de tantos e sagrados deuses cornudos da natureza.

Os chifres são um óbvio símbolo de poder e força, e têm o mesmo valor simbólico que a coroa. Mesmo na simbologia bíblica, chifres significam o poder de um rei. No plano mitológico, simbolizam tanto o poder do sol e da virilidade (chifres de carneiro), quanto da lua e a feminilidade (chifres de touro).

Os chifres de carneiro, além de estarem ligados à liderança (Áries, o carneiro, é o primeiro signo do zodíaco, e também corresponde à carta do Imperador no tarot), possuem a forma de espiral, que considero um dos símbolos mais poderosos que existem. A espiral é a base de todo o movimento do universo - desde planetas, estrelas e galáxias até os mínimos movimentos e formas naturais, o crescimento das plantas, gavinhas, caracóis, conchas, ondas e tornados (e os cachos dos cabelos de Jesus...). É também o movimento de ascendência, iluminação, conexão com o Divino e interiorização.


Por fim, considero chifres mais que apropriados para coroar a cabeça de um Salvador do Mundo, e torná-lo mais semelhante aos antigos deuses da Natureza.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Lilith




Lilith é o Feminino que fica no escuro. Não porque seja mau, mas porque foi renegado por um mundo em que o patriarcado, em todos os seus desdobramentos, é dominante. A natureza feminina do mundo foi escravizada, transformada em fraqueza, em algo a ser dominado pela força. A natureza, a doçura, a simplicidade, o prazer, a beleza, as mulheres - tudo isso foi considerado inferior, sujeito à dominação do homem. Mas Lilith, como no mito judaico-cristão, recusou-se a se submeter, e por vontade própria se tornou reclusa. Escolheu esconder-se nas sombras ao invés de deixar-se ser corrompida. E nas sombras vive tudo o que tememos; e o que tememos, transformamos em demônios.

Lilith é viva; no fundo de nossas mentes, no Mar do Inconsciente, ela vive e observa, como uma grande Mãe Ancestral, incessantemente dando à luz criaturas que chamamos de demônios - graças à nossa educação judaico-cristã - mas que na verdade são todo nosso potencial criativo, toda a beleza que rejeitamos dentro de nós, toda a nossa vontade e vitalidade que, forçadas por nós a permanerecem esquecidas, no escuro, sufocadas, em nome da vida civilizada, mecanizada e morta, transformam-se em demônios a nos atormentar. Demônios de todas as cores e formas, feitos da matéria de nossos sonhos.

Mas Lilith os nutre, como boa Mãe, pois a Vida nunca pára de ser criada. Lilith é absolutamente fértil. E por isso ela é a Mãe dos Demônios, e a ela devemos ser gratas, pois se ela deixasse de gerá-los, nossa vida se extinguiria; pois ainda é de seu Mar, repleto de bestas, que retiramos o que nos mantém vivas. E quando trazemos essas criaturas à luz, percebemos como são belas e cheias de vida, e como nunca foram os demônios grotescos que acreditávamos ser, e que tanto temíamos.

Se conhecermos Lilith, não encontraremos nenhuma sombra, pois Lilith nunca se renegou. Sempre foi inteira, verdadeira e incorrupta, apesar de tudo que falam dela. Na sombra de Lilith existe uma luz pura e intensa.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Quadrinhos

Coloquei algumas pinturas digitais para serem vendidas como prints no Imagekind, e lá dá pra personalizar a moldura que você deseja.

O comprador é que decide como ele quer a moldura, mas o autor pode definir uma moldura padrão. Me diverti horrores selecionando as molduras pras pinturas!








Real Time Web Analytics