domingo, 15 de janeiro de 2012

Um segredo de magia


Às vezes eu gostaria de poder abrir o peito e tirar de dentro de lá o que me pesa, me perturba, me devora, me aflige. Literalmente não dá - mas quando desenho uma representação desse sentimento, isso me proporciona um alívio enorme. De certa forma, se torna real.

Uma vez eu sonhei que estava numa reunião de feiticeiros e magos negros. Estávamos todos sentados em torno de uma mesa retangular e baixa, de modo que ficávamos sentados no chão.
O feiticeiro líder, de capuz, chamou a atenção de todos para falar - mas enquanto falava, olhava diretamente para mim - e explicou que, caso desenhássemos um demônio e no desenho o fizéssemos aprisionado, nós efetivamente estaríamos prendendo aquele demônio e submetendo-o ao nosso controle, porque o ato de desenhar projetava a realidade.

Na época eu era perturbada por um demônio em particular. Eu o desenhei e tracei um círculo em volta, para detê-lo ali dentro.

A arte é uma excelente forma de magia.


(Vocês deverão perguntar se aprisionar o demônio dentro do círculo no papel funcionou para mim - a resposta é: não por algum tempo, mas mais tarde ele acabou de fato perdendo a força, quando parei de dar este poder a ele. No papel, ele continua ali, preso dentro do círculo, e hoje em dia é só um simples desenho.)

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Um milhão de ACEOs!!


E estes são os ACEOs recém-saídos do forno. Fazer essas coisinhas é definitivamente viciante. Quase tenho dó de vendê-los, hehe. Mas estão à venda na minha lojinha do Etsy.

Este papel é bem chatinho de pintar. Primeiro, porque ele é como se fosse um papelão altamente absorvente - quando você passa o pincel úmido, ele absorve a água imediatamente e escurece com a umidade. Aí você não sabe que cor está efetivamente pegando no papel, até que ele seque. Sempre parece super escuro, aí ele logo seca e você vê que a cor ficou super clarinha. E também não dá pra espalhar a cor com o pincel, esfumar a aquarela, etc, já que ele absorve tão rápido. Então tem que pintar, esperar secar (poucos minutos), pintar de novo... até chegar na cor que você quer.

Aí eu reforço com lápis de cor onde for necessário. Aí tem o outro probleminha do papel: ele é sensível e descama. Se você exagerar um pouquinho na pressão do lápis, ou passar muitas vezes o pincel úmido da aquarela, ele começa a soltar pedacinhos.

Mas no final das contas eu realmente gosto do resultado.=)

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

ACEOzando sem parar

Não paro de fazer ACEOs. Não consigo fazer mais nada.


A minha mesa é imunda mesmo desse jeito!

domingo, 8 de janeiro de 2012

ACEOs e passarinhos

Fiz novos ACEOs pra vender na lojenha.
Os três foram feitos daquele papel amarelo com cara de antigo que eu peguei de uma casa demolida que pertencia a um professor de arte.
Pintados com aquarela.

Fadinha gorduchinha.
Menina corvo.
Mandrágora.
E esses são os filhotes de passarinho mumificados que eu encontrei, e ainda não tinha tirado foto.
O menorzinho eu achei no trilho do trem enquanto caminhava ali. Não faço ideia de como foi parar lá.
O maior, de penas pretas, foi debaixo de uma árvore.
Não sei se vou ficar com eles. Acho que vou enterrá-los.


terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Coisas mágicas.

Então chegou o fadado ano de 2012. Aqui já começou tempestuoso, agora o tempo melhorou um pouco, e vamos ver o que ele nos reserva.
Secretamente eu desejo que seja mesmo o final dos tempos e que uma nova era comece em que tudo neste mundo fique pra trás, como um sonho, e algo totalmente diferente se inicie.

Não vou postar desenhos hoje, então aí vão algumas fotos de coisas.

Um biscoito do mar enorme que meu irmão trouxe da praia pra mim.

Penas de íbis. São lindamente iridescentes em azul e verde.

Penas de coruja que o @Alex_loverock me mandou de presente. =)
Pena de coruja buraqueira do parque Barigui.
 
Cristal de quartzo que comprei.
Real Time Web Analytics