domingo, 25 de dezembro de 2011

Merry Krampus


Uma ilustração rapidinha que fiz do Krampus pro Natal não passar em branco. Na verdade o dia de Krampus, especificamente, é em 5 de dezembro, mas eu só lembrei dele hoje, no Natal. Não tá super bem finalizada mas é só pra ficar de lembrança, hehe.

O Krampus é um "demônio natalino" presente nas lendas de várias regiões dos Alpes, provinda do folclore germânico. Ele acompanha São Nicolau na época do Natal - enquanto este distribui presentes às crianças boazinhas que se comportaram, o Krampus pune as crianças que foram malvadas dando-lhes chicotadas com um feixe de galhos. As crianças que foram particularmente terríveis, ele as coloca num barril em suas costas e as leva para o inferno com ele.

Efetivo, né?

Em alguns lugares ainda se comemora a noite de Krampus, em que jovens se vestem como ele - usando máscaras demoníacas com chifres e pelagens de bode - e saem pela rua assustando e perseguindo crianças e mulheres, arrastando correntes e sinos enferrujados. E às vezes, "chicoteando" jovens mulheres e garotas (Krampus, guardando suas semelhanças com deuses da fertilidade, é uma entidade bem safada, também).
"Saudações de Krampus", um cartão tradicional.
São Nicolau e sua gangue de Krampus.
Krampus aparentemente faz sucesso entre as mulheres.

Se quiser saber mais e ver um monte de imagens legais e cartões do Krampus, tem um site especialmente sobre ele *aqui*.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Mais e mais passarinhos

Hoje tirei do vaso de terra o crânio da rolinha que eu tinha deixado lá pros insetos limparem (a rolinha dona daquelas asas que postei antes), e também o crânio de um filhote de rolinha que o Allan havia me mandado um tempão atrás (quer dizer, ele mandou o passarinho inteiro, não só o crânio haha), que eu demorei pra pegar porque fiz mal em deixá-la inteira lá - os vermes a devoraram e deformaram todo o corpinho, e a pele secou sobre os ossos, tornando a limpeza difícil, e eu estava com preguiça de mexer naquilo (e o cheiro também não era muito bom). Mas hoje havia recém-chovido e a água amoleceu a pele do crânio, permitindo que ela fosse retirada.

Aqui estão os dois:

Não estão perfeitamente limpos, mas trato disto depois.
Também fotografei um craniozinho que o Allan (é, sempre ele hahah) me mandou mais recentemente. Não sei de que passarinho é, mas esse já veio naturalmente limpinho:


E lembram do pardalzinho que encontrei outro dia? Eu havia cortado as asas, a cabeça e os pezinhos e deixado numa caixa com areia de gato para secarem. Ontem tirei da caixa, estão secos e sem cheiro. E as asinhas são a coisa mais linda. Eu acho que nunca havia reparado como os pardais são lindinhos, por serem um passarinho tão comum...


Ainda hoje encontrei um filhote de passarinho morto, já seco também, e um pouco esmagado. As peninhas são pretas, o que me faz desconfiar que seja um filhote de chupim. Não fotografei ainda porque o dia já estava escurecendo (só tiro fotos à luz do dia). Também tenho um outro filhote que encontrei na linha do trem (não faço ideia de como foi parar lá), quando andava sobre ela, vou tirar foto dos dois mais tarde.

E ainda tenho duas cabeças de pardal, um macho e uma fêmea, mas ainda estão com pele e penas e terra grudada.

E ainda - encontrei um pardalzinho atropelado, totalmente esmagado. Aquele doeu no meu coração quando encontrei. Uma de suas asinhas ainda estava mais ou menos inteira, então trouxe ela comigo e também coloquei na caixa de areia de gato para secar. Não vai ficar tão bonita quanto essas das fotos, que pertenciam a um pardal que estava inteirinho, mas ainda vai ser uma pequena homenagem à vida do passarinho.
Real Time Web Analytics