terça-feira, 29 de novembro de 2011

Relicários & asas

Estive experimentando fazer uns relicários com pedacinhos de desenhos meus:
 

Os desenhos foram impressos, recortados e colados nos relicários, e aí selados com vidro líquido. Como são as primeiras experiências, ainda não ficaram totalmente perfeitinhos... mas outros virão! Só preciso conseguir mais material, hehe. Os que ficaram melhores logo estarão à venda na minha loja virtual, a Lua Turquesa.


Ontem eu achei os restos de um passarinho de uma cor bem bonita, verde-azulada. Pouca coisa dele se salvava, só tinha alguns ossinhos, um pezinho e parte das asas. Pela cor, acho que era um sanhaçu-cinzento.


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Visita às corujinhas

 Sábado passado fomos ao parque Barigui visitar as corujinhas. Elas estão reformando a casa: a toca delas está mais profunda e bifurcada. Devem estar construindo um quarto para os bebês que logo devem chegar...

Quando chegamos, uma estava ali dentro da toca. A outra, em cima da árvore:
 
 "Ai, de novo essa guria vindo aqui tirar fotos..."
 Aqui ela estava brigando comigo, hahaha, me encarando fixamente, mexendo o bico "falando" alguma coisa e se remexendo ameaçadoramente.
Carinha de brava de saco cheio da menina fotógrafa (na verdade, uma meia-piscada).
Como sempre, andei em volta procurando por penas que elas possam ter deixado cair por lá. Desta vez, além das pluminhas de sempre, encontrei também uma pena maiorzinha! Eba!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Lamassu

Indo no embalo, terminei mais uma pintura hoje! Fiquei umas 10 horas na frente do computador até terminar, e agora meus olhos estão vermelhos. E o pior é que não quero parar, queria já começar outra coisa... quem sabe uns rabiscos em papel, pra descansar os olhos.

É uma Lamassu, criatura de origem mesopotâmica, muito próxima da Esfinge. Lamassus são deidades aladas com corpo de touro ou leão, e cabeça humana, que protegem e afastam o mal e as forças do caos. Normalmente são representadas com forma masculina, mas o nome originalmente tem derivação feminina.

Essa Lamassu não é exatamente mitológica. Lamassus costumam ter 5 membros... mas eu quis chamá-la de Lamassu só pra variar.

O início desse trabalho pode ser visto neste post.



As asas foram um sofrimento, não porque asas são difíceis de pintar, mas porque eu inicialmente fiz as penas na direção errada (a maneira como elas se sobrepõem). Aí tive que refazê-las. É pra eu aprender a procurar referências ANTES de pintar, e não depois...

Também tem um WIP de uma fada gordinha (escrevi WIP na imagem porque às vezes postam meus desenhos em outros lugares, tipo tumblr, e inadvertidamente acabam postando desenhos inacabados...):

Mas acho que essa vai demorar ainda um pouco pra ficar pronta, não tô conseguindo trabalhar nela... deve ser o esquema de cores, tenho dificuldade de trabalhar com cores frias! É, sou assim, lembram que eu falei que não conseguia mais usar bijuterias prateadas nem roupas pretas? Meu lado solar é que tá falando mais alto.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

O Ninho, terminado

Lembram deste WIP? Pois é - meses depois, finalmente terminei. E deu um trabalho do caramba, achei que nunca ia acabar - e não podia ir dormir antes de terminar! E ainda posso resolver arrumar uma coisinha ou outra mais tarde.
Qual versão vocês preferem: com o arco, ou sem?

 

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Asas

Então, lembram da rolinha morta que encontrei? As asas já estão "prontas". Ficaram secando por umas semanas no sal grosso, presas em palitos de madeira pra manter o formato aberto. Aí estão elas:




Também tem um novo ACEO.


Ele está à venda na minha lojinha no Etsy - http://www.etsy.com/shop/FadaMariposa
(é, decidi por FadaMariposa mesmo. hahahaha. É que eu tava pensando em colocar um nome que não fosse em português, já que é um site internacional, mas what the hell, até que "Fada Mariposa" não soa mal se pronunciado com sotaque gringo.)

Aliás, dois dos ACEOs do post anterior já foram vendidos. Êeee! Foram lá pro Canadá.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Meninas-bicho e criaturinha disfarçada

Uma vez demoliram uma casa do lado do lugar onde eu trabalhava, e eu e meus colegas de trabalho vimos vários livros e coisas de arte jogados no meio dos entulhos. Parece que o dono da casa era um professor de arte, e aquilo tudo eram coisas que ele havia deixado pra trás e não queria mais. Rapidinho pedimos pros pedreiros deixarem a gente entrar.
Tinha uma ou outra coisa legal, mas não se salvava muito, pra mim. Saí de lá com uma ferradura enferrujada e umas folhas de papel amareladas de mofo, que achei que podiam ter algum proveito.

Isso deve fazer quase 1 ano, mas só agora resolvi tirá-las da gaveta e fazer algo com elas. Recortei uma delas em formato de ACEOs, e o resultado foi um monte de cartõezinhos envelhecidos prontos pra serem rabiscados.


Daí já desenhei neles, né! O papel é muito sensível, machuca e descama fácil, então tive que pintar bem suavemente com lápis de cor. Não rolava usar aquarela também porque o papel absorve a água muito rápido.

Fiz três até agora:


Menina-raposa, menina-coelho e menina-coruja.
E as cores são meio diferentes ao vivo. Capturar em foto ou scanner as cores reais de um desenho é muito dificil! =(

Eu vou vender esses ACEOs no Etsy, assim que decidir qual será o nome de minha loja lá.

Outro dia tava andando pela linha do trem procurando algo de interessante. Encontrei um filhote de passarinho mumificado e essa madeirinha aqui que parece ter o formato de uma criaturinha com braços levantados:


Certeza que é algum serzinho disfarçado! (e meu gato é um enxerido)

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Penudos

Hoje encontrei dois passarinhos mortos: um sabiá e um pardal. O engraçado é que foram em duas ruas pelas quais eu não deveria ter passado - eu me perdi (pra variar) e acabei dando umas voltas desnecessárias, e foi aí que encontrei os passarinhos.

O sabiá já estava se decompondo, então não quis trazer pra casa. Coloquei ele num formigueiro, para as formigas limparem. Com sorte, consigo recuperar uns ossinhos, se as formigas não sumirem com eles.
O pardal havia morrido há pouco tempo, estava sem cheiro, então coloquei ele numa sacolinha e trouxe pra casa. Procurei na internet sobre como preservar asas de pássaros, e encontrei um método nativo-americano em que se deixa as partes que se deseja conservar (geralmente asas, cabeça e pés) imersas em farinha de milho (aquela mais granulada, não a fininha), pois os grãos absorvem a umidade e os odores e deixam as partes secas, mumificadas.

Eu não tinha farinha de milho, então ao invés disso usei areia de gato, pois li em algum lugar que teria o mesmo efeito (já que serve pra isso mesmo - absorver umidade e conter odores). Daqui umas semanas, eu posto os resultados.

Este é um filhotão de urubu que apareceu na portaria do meu prédio. Parece que os urubus têm um ninho na sacada de um apartamento fechado, e ele deve ter caído de lá. Só que aparentemente não sabia voar ainda, então ligaram pra um número pra virem buscar - não sei pra quem, prefeitura, sei lá - só que era feriado e falaram que só viriam no dia seguinte. Só que no dia seguinte - hoje - não vieram, e o bichim, disseram, passou pelas grades e saiu andando pela rua. Minha mãe diz que tem certeza de que na verdade fizeram ele sair, porque devia ter moradores reclamando do cheiro e da sujeira (o pobrezinho fedia). Não encontramos ele mais, espero que esteja bem. =(
Real Time Web Analytics