quarta-feira, 18 de maio de 2011

Conto de Fadas ao Contrário

Atualização: mudei a parte em que o caçador matava a corça seguindo sugestão do Anônimo nos comentários.

O meu inconsciente às vezes vem com umas idéias estranhas.
Na última noite, eu sonhei que deveria contar um conto de fadas ao contrário. Eu não sonhei com o conto em si, nem sonhei que o fazia, só sonhei que deveria fazê-lo. O conto de fadas em questão era Branca de Neve, às vezes Cinderela e Chapeuzinho Vermelho. Acordei e anotei no caderno. Ao dormir de novo, sonhei que escrevia o conto aqui no blog.

Então lá vai.

Branca de Neve reverso.

Branca de Neve estava casada com seu príncipe, muito feliz. Mas um dia o príncipe a pegou no colo e a levou para o meio da floresta, deitando-a dentro de um caixão de cristal, numa clareira. Ao dar-lhe um beijo, Branca de Neve adormeceu, e assim ficou por muito, muito tempo. E o príncipe nunca mais voltou.

Foi quando os sete anões, que viviam na floresta, a encontraram. Admiraram sua beleza inerte por dias a fio. Até que decidiram tirá-la de lá, e levá-la para sua casinha na floresta, onde todos eles viviam. Largaram ela por lá, e saíram para trabalhar, deixando-a sozinha, desacordada.

Enquanto isto, os anões salvavam da queda de um penhasco uma mulher velha e maltrapilha, que, depois de ser salva, foi visitar a casa dos anões, levando uma cesta de maçãs. Lá, encontrou Branca de Neve desacordada. Aproximou-se dela, e conseguiu fazê-la engolir um pedaço da mais bela das maçãs que trazia. Isso fez com que Branca de Neve despertasse de seu sono.

A velha então se foi, e Branca de Neve ficou na casa dos anões, fazendo o trabalho doméstico: limpando, cozinhando, lavando. Foi a alegria dos anões, quando voltaram de seu trabalho, encontrá-la desperta e trabalhando.

Mas um dia Branca de Neve decidiu ir embora. Andou a esmo pela floresta até se deparar com um caçador, que retirava o coração de uma corça de dentro de uma caixa e a depositava dentro do animal, que então voltava à vida. Para espanto de Branca de Neve, ele lhe diz que fazia isto pois a rainha malvada havia lhe pedido que buscasse o coração da própria Branca de Neve, mas ele não queria feri-la. Ele lhe pediu que voltasse para a floresta e não se aproximasse do castelo.

Porém, Branca de Neve ignorou seu pedido e foi até o castelo da rainha que desejava sua morte. Encontrou a rainha conversando com um espelho, que lhe dizia que Branca de Neve era mais bela do que ela. A rainha estava furiosa, pois foi ela mesma, disfarçada de velha, que lhe deu a maçã que a despertou de seu sono.

Mas antes que pudesse fazer qualquer coisa, o rei, pai de Branca de Neve, que se pensava estar morto, surgiu de repente, para a surpresa de todos. Permaneceu casado com a rainha malvada, até que, da mesma forma repentina, a rainha falecida, ex-esposa do rei, apareceu na frente de todos. Desta forma, a rainha-feiticeira-malvada teve que sair de cena para sempre, e nunca mais se ouviu falar dela. E o rei e a rainha, pais de Branca de Neve, voltaram a reinar, com a princesa sob sua proteção.

Fim?

Adianto que no caso de Chapeuzinho Vermelho, ela e a avó seriam vomitadas pelo lobo. E acho que Cinderela perderia seu príncipe num baile em que ele resolveria ficar solteirão pra poder farrear, e ela terminaria virando faxineira de uma madrasta e suas filhas terríveis.

domingo, 15 de maio de 2011

Asas, ossos e chifres

Terminado!

Aí quando me perguntam "quanto tempo levo para fazer uma pintura como essa", eu não faço idéia de como responder, porque geralmente tem um espaço de meses entre o começo e o final, em que eu simplesmente não faço nada. Impossível saber quanto tempo eu efetivamente trabalhei no desenho (até porque contagem de tempo não é um dos meus fortes). Tem desenhos e pinturas inacabadas de anos aqui, esperando serem terminadas... o que acontece quando ocorre a conjunção certa de astros, sei lá.

Detalhes:



On other news, uma pessoa linda chamada Louann, do Texas, me enviou uns presentes maravilhosos (para mim): crânios de coiote e guaxinim e vértebras e bacia de veado! São coisas que ela e a família encontram em seu sítio (não, nenhum animal é morto). Eu havia comprado um par de chifres de veado dela, e ao conversarmos, falei que adorava ossos e partes de animais e que guardava os ossos de passarinho que encontrava... aí ela me mandou essas coisas de presente! Fiquei MUITO feliz! Eu ainda não consegui fotografar tudo direitinho, mas aqui vai um preview de um dos crânios de coiote (são 2), e o crânio de guaxinim, e também a foto que tirei de mim mesma com os chifres:

Depois que eu tirar uma foto de todos os ossos, posto aqui.

- Thank you Louann! ♥
Real Time Web Analytics