sábado, 23 de abril de 2011

Gatinhos

ATUALIZAÇÃO: Cheguei em casa hoje e recebi a notícia da dona do salão de que um rapaz foi lá e levou os 3 gatinhos... fiquei só um pouco chateada por não saber quem era e tal, queria me certificar de que era de confiança, que irá castrá-los, ter tela nas janelas, etc. Mas bem... agora é apenas esperar que eles sejam tratados com muito carinho e tenham uma vida feliz.

Vou sentir saudades deles =/

Obrigada a todos que ajudaram a divulgar! ♥

Esses gatinhos lindos, com poucas semanas, foram abandonados pela mamãe deles (na verdade não se sabe o que aconteceu ela, ela simplesmente desapareceu), e eles ficaram à própria sorte. Eles estão numa casa que é um salão de beleza aqui perto.

O problema é que as donas de lá não querem saber deles. Até estão dando ração e água, mas querem se livrar deles o quanto antes. Inclusive, uma delas me disse que, por ela, já tinha "jogado fora" (sim, nessas palavras). Fiquei chocada e achei que ela estava brincando. Falei que eles morreriam se ela os jogasse na rua. Ela disse "não, eles vão se virar", com uma convicção estranha nas palavras.

Fiz ela prometer que não faria nada disso, e antes de fazer qualquer coisa, falasse comigo antes, que daí eu traria eles pra casa. Falei que ia tentar arrumar bons donos pra eles. Ela concordou...

Hoje passei na frente do salão pra dar uma olhada nos gatinhos, pra ver se estavam com água e comida, pois neste feriado o salão não abriu e não sabia se estavam tomando conta deles, e tinha um papel colado no portão dizendo assim:

"GOSTOU DOS "GATOS"? PODE LEVAR. SÃO DOAÇÃO."

E eu fiquei morrendo de ódio. O desleixo e insensibilidade com umas vidinhas deste tamanho, que cabem na mão. Como se fossem lixo. "Doação"? É praticamente um despejo. Como se dissesse "levem daqui essas desgraças", não importa nem quem pegue, alguém mal-intencionado pode levá-los, dane-se... Eu, no dia anterior, divulgando no twitter em busca de donos responsáveis, e no dia seguinte me botam um cartaz destes... eu deveria ter arrancado, mas não o fiz. A chuva de hoje deu conta de derreter aquelas letras.

E olha que o salão é muito bem arrumadinho e tudo mais, pertence a gente muitíssimo bem de vida. Pena que quando se trata de sensibilidade e empatia, essa gente seja tão ignorante.

Bem, é isso. Gostaria muito de conseguir bons donos pra essas fofurinhas. Eu só consegui pegar 1, eles são meio ariscos e se escondem no jardim. Esta que peguei, no meu colo, é uma fêmea. Desconfio que sejam 2 fêmeas e 1 macho.

Eles são bem pequenininhos mesmo, mas estão comendo ração. Estão, é claro, cheios de pulgas, mas me comprometo a ajudar financeiramente nas primeiras vacinas, e na castração (quando tiverem idade), se precisar.

O dono precisa ser responsável e carinhoso, ter disposição para cuidar bem do gatinho, e se morar em apartamento, ter as janelas teladas (isto é sério. Muitos anos atrás, perdi uma gatinha que caiu de uma das únicas janelas da casa que não eram teladas. Hoje, todas são).

Ah, eles estão em Curitiba-PR, é claro. Interessados, entrem em contato comigo, pode deixar um comentário aqui neste post mesmo, ou me escrever, para nocturnine5@yahoo.com.br.

domingo, 10 de abril de 2011

Bichinhos do Parque Barigui

Da última vez que fui ao parque Barigui, levei a câmera para fotografar alguns bichinhos de lá. Em outros dias, havíamos visto macaquinhos, um pássaro alma-de-gato, sem contar as capivaras, o (famoso) jacaré, um monte de quero-queros, chupins, e muitas borboletas coloridas num arbusto de flores. Mas eu havia esquecido a câmera... Então no dia seguinte eu levei, e aqui estão algumas fotos que consegui.

Pesquisei os nomes científicos de todos eles. =)

Logo na entrada sempre vemos trocentos chupinzinhos (Molothrus bonariensis) em bando, na grama. Eles parecem pequenos corvinhos, e os machos têm essas penas lindas reluzentes em tons de azul e violeta. O chupim é conhecido por botar seus ovos nos ninhos de outras aves, para que elas possam chocá-los e alimentar os filhotes. Safado que só.

Não consegui fotografá-los muito, porque não paravam quietos.

No mesmo gramado dos chupins, tinha um casal de quero-queros (Vanellus chilensis). Nesta foto não consegui enquadrar ele inteiro, mas é a melhor pra ver os detalhes das penas, que parecem cortadinhas com tesoura. Ele também tem penas reluzentes, em amarelo, verde, cobre e lilás.

E logo mais pra frente, no mesmo gramado, identificamos um ninho de coruja-buraqueira (Athene cunicularia)... e eles são isso mesmo, um buraco no chão! Logo vimos o casalzinho de corujas nos observando atentamente de uma árvore. Quando me aproximei pra tentar ver o ninho, a corujinha da 2a foto (imagino que seja a fêmea) saiu voando, passou na minha frente e foi pra outra árvore, acho que pra chamar minha atenção pra longe do ninho.

Depois fomos visitar o arbusto das borboletas. Infelizmente não tinha tantas borboletas nem tanta variedade de espécies quanto havíamos visto no outro dia. Pesquisei seus nomes científicos. A mais comum era esta aqui (do gênero Heliconius, mas não consegui descobrir a espécie certinho):

Esta última parece estar saindo de seu casulo! E o que parece ser uma ninfa de percevejo (ainda não identifiquei) tá ali de gaiato, provavelmente sugando a borboleta...

Estas são maravilhosas! O vermelho de suas asas é muito intenso. São da espécie Anartia amathea.

Essa lindinha é uma Heliconius ethilla.

Essa pobrezinha tava toda enrolada numa teia de aranha! E ainda estava viva, com uma patinha mexendo.

E por último, uma (aparentemente) ninfa de percevejo, igual àquela que tava no casulo da borboleta. Eu não consegui descobrir a espécie desse bicho de jeito nenhum!

Também vimos um esquilinho, bem no alto de uma árvore. Tentei fotografar, mas só dá pra ver uma mancha, tava bem longe o danadinho. Só o encontramos porque ouvimos o som dele roendo alguma coisa. Os macaquinhos que vimos da outra vez também só vimos por causa do barulho deles, que parecia um assovio.

Tanta coisa linda num parque no meio da cidade, né? E todos soltos. A maioria das pessoas não dá nenhuma atenção a esses detalhes. Aliás, o que tem de lixo jogado no meio da floresta do parque, e na água, na grama... muito triste de ver.
Real Time Web Analytics