segunda-feira, 14 de março de 2011

Levezas

Pronto: finalmente me dei o tempo e, com o espaço da mesa limpo o suficiente (o que não significa, de jeito nenhum, que esteja realmente limpo e organizado) para desenhar, estou matando a saudade da tablet e voltando a desenhar e pintar diariamente.

Eu queria que não demorasse tanto, sempre, para voltar, nem que o hiato fosse sempre tão longo. Eu sempre penso que depois de um desses períodos, eu finalmente descobri o segredo para não abandonar mais a prática, e que não deixarei mais passar períodos tão longos. "Encontrei a nascente de inspiração. Não é possível perdê-la novamente. Da próxima vez, saberei exatamente o que fazer para voltar."

Mas acontece. Sou arrebatada dali, da nascente, para lugares diversos. Sinto sede durante esse tempo todo, mas há sempre prioridades, prioridades, prioridades... para aquilo que talvez não passe de um capricho, este meu prazer em me sentir viva desenhando e pintando.

WIPs:

Este abaixo é uma revisita a um rabisco que fiz há pouco mais de um ano. Adoro revisitar essas coisas velhas, e dar-lhes vida nova. Aquela sensação de reciclagem, de pegar algo antigo e transformá-lo em algo novo e resplandecente. O antigo é este aqui.

Ambos em progresso.

Aí embaixo é uma foto de um vidrinho com asas de borboleta que adquiri. Pertencem à borboleta Salamis parhassus. Salamis era o nome de uma ninfa na mitologia grega, filha de Asopus, um deus dos rios, e Metope, filha de Ladon, outro deus dos rios. A cor e a iridescência das asas dela realmente me lembram algo como uma ninfa das águas...

Nenhuma borboleta foi ferida ou morta para a obtenção destas asas.
Real Time Web Analytics