domingo, 20 de dezembro de 2009

WIP de fadinha

Recebi uma encomenda (do Jeff, aquele lá do Teddy and the Yeti!) de um desenho de fadinha para presente de Natal. Eba! Ele pediu algo em papel, aquarela. Aí está o trabalho-em-progresso. Nossa, já fazia tempão que eu não mexia com aquarela. Ou com desenho, né? Às vezes passo tempo demais sem desenhar... sempre prometo a mim mesma que não vou deixar isso acontecer, mas sempre acontece.

(na verdade ela já tá pronta, mas acabei de passar verniz e não dá pra scanear =))

E de presente de Natal adiantado... recebi de meus amiguinhos Haya e Giu um colar liiiiindo e muito de fada! Feito à mão, com linha trançada e pedras bonitas...

Amei!!!

domingo, 6 de dezembro de 2009

O espírito indomável

Hoje não tem desenhos. Faz um bom tempo que não posto aqui e é por falta de produtividade, inspiração, e tudo.
Mas caiu aqui em minhas mãos agora a última edição da revista Veja, com uma reportagem sobre os filmes O Fantástico Sr. Raposo, Onde Vivem os Monstros e Alice de Tim Burton. E tem uns trechos nessa reportagem que simplesmente me deixaram encantada.

E eu só vou transcrevê-los.

"...Raposo, enfim, foi domesticado. E não pelos três fazendeiros coléricos, mas por quem mais ama. Pode um animal selvagem, entretanto, ser assim desnaturado? Essa é a pergunta que Raposo faz a si mesmo várias vezes no decorrer de O Fantástico Sr. Raposo (...). A pergunta já vem, na verdade, em forma de alternativa: não, não pode, e acima de tudo não deve - porque existe algo de fundamentalmente belo e vivo, poe-se até dizer de sublime, no que é a natureza de uma raposa (ou de um homem)."

"Três filmes não necessariamente compõem uma tendência. Mas, no mínimo, configuram uma convergência. Assim como os vampiros que nos dois últimos anos invadiram todas as instâncias do pop parecem ser sintoma de uma rebeldia latente, ou pelo menos simbólica, à cultura da passividade e da conformidade às normas, esses três cineastas singulares parecem manifestar uma inquietude ainda mais profunda: o temor de que se esteja vivendo uma morte da imaginação. Que, como qualquer déspota poderia esclarecer, é de longe a mais subversiva e incorruptível das qualidades humanas."

"Em O Fantástico Sr. Raposo, quando o protagonista recai no vício e volta a roubar, os três fazendeiros empreendem uma caçada de proporções caóticas a ele e aos outros animais da área. Raposo, que não consegue se conter, responde à perseguição em escala, com ações cada vez mais audaciosas - e inspiradas, agregadoras e libertadoras. Os fazendeiros, lógico, representam a mediocridade rampante, a ganância bura e o ódio dos medíocres aos que diferem deles; Raposo é o espírito que não pode ser vencido."

Ilustrações de concept art de Chris Appelhans para o filme do Sr. Raposo

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

O Yeti fala!



Eu estou trabalhando na colorização de algumas páginas da HQ "Teddy and the Yeti". O que na verdade é muito legal, dado que eu entrei em contato com o Jeff (o responsável pela HQ) faz quase 2 anos, eu acho, através de um anúncio à procura de um colorista. Acabaram não me aceitando daquela vez, mas o Jeff foi muito simpático e disse que guardaria meu contato caso precisasse de algo no meu estilo. Eu não imaginava que realmente, muito tempo depois, ele me mandaria um e-mail perguntando se eu estaria disponível para colorir algumas páginas da história.

Ele fez um post fofo sobre a minha participação, no blog dele! The Yeti Speaks: Colors by Carol J.!


Não tenho muitas outras novidades no momento, eu acho, exceto que estou absolutamente viciada em Get On My Horse, e que roubei um galhinho de hera que parece albina, de um vasinho no supermercado:
E aí vão mais desenhinhos do caderninho natural:

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Pareidolia

Clicando num dos links secretos do RyotIRAS, encontrei este blog: Faces in Places. Um blog dedicado à pareidolia.
Depois de iniciar este post com tamanha relevância, vou mostrar dois desenhos do meu caderno de rabiscos:
Esse último indiozinho, nem preciso dizer pois já está descrito, foi um sonho que tive. Não é a primeira vez que sonho com indiozinhos. Uma vez sonhei com um que relacionei a Atreyu (da História Sem Fim), e fiquei meses noiada com ele, de tão vívido que tinha sido o sonho. Lembrei dos olhos dele por muito tempo. Eu o amava indizivelmente no sonho e ele foi capturado por uns homens maus e eu não consegui salvá-lo.

Mais um link interessante: a Escola Panamericana de Arte e Design fez uma campanha divertida que encoraja as pessoas a testarem sua criatividade. O objetivo é desenhar o mais coisas possíveis a partir de pequenos X's e O's. Dêem uma olhada!


E por último, mas não menos importante... o Allan, do blog No Pop-Ups, tá fazendo uma coisa super fofa: desenhando todas as pessoas que seguirem ele no Twitter. Eu fico até preocupada em dar muito mais trabalho pra ele já que estou divulgando e ele talvez tenha mais e mais gente pra desenhar, hahaha, mas eu adorei! Ele me fez de fadinha!

Fim!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Risoto de Abóbora e Carne Seca

Eu ultimamente tenho gostado mais dos meus desenhos no começo, antes de terminar, do que depois de terminados. Tipo essa fadinha aí. Tirei a foto no começo, e agora que já trabalhei mais nela, absolutamente detestei. Deus, comofas ctrl+z na realidade?

Caderninho muito fofo, encapado com folhas secas e com páginas de papel reciclado e áspero, que estou usando para fazer desenhinhos.

Ah, e falando em desenhinhos, minha nova aquisição é o livrinho Little Girls that Bite, da Ronny Vardy, artista que descobri há pouco tempo e logo me apaixonei. O livrinho é cópia limitada e numerada (a minha é a número 82 de 100!). Capa aveludada, e com um desenho original feito numa das primeiras páginas. E de brinde, vem um print de uma ilustração da sua escolha!

O site dela é: http://www.ronnyvardy.net/

O título dessa postagem não tem nada a ver com o conteúdo. Decepcionados?

sábado, 7 de novembro de 2009

Embalando a abelhinha

TERMINEI! Fiz uma extrema lambuzagem com a aquarela mas super gostei.

Ela canta pra abelha uma canção de ninar sobre pássaros comedores-de-abelha, porque aparentemente é legal cantar para crianças músicas assustadoras sobre bichos papões.

Aproveitando o post, vou colocar dois desenhos meio velhos mas que nunca publiquei.

Clique para ver o desenho completo.

Uma esfinge. Gosto de esfinges.

Esse desenho é um daqueles desenhos que faço para alívio. Foi numa época em que alguém me fazia sentir coisas ruins e eu sentia desejo de arrancar aqueles sentimentos do peito.
A personagem é minha. É uma anja caída, que tem um dos olhos para sempre voltado para cima, eternamente olhando para o paraíso que perdeu.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

ACEO - A Lua e a Morte

O último ACEO (Artist Cards, Editions and Originals) que eu fiz, em aquarela. Os enfeites na cabeça dela são lunares: a própria Lua, flores da Lua, a mariposa Actias luna, cogumelos (que representam decomposição), e pérolas. As penas reforçam o ar tribal. O terceiro olho indica que ela vê além e profundamente. A caveira estrelada foi uma dessas coisas que no desenho acontecem por si próprias, sem planejamento. A Morte sorridente que nos leva à liberdade do Espaço aberto, ao Universo estrelado.

domingo, 25 de outubro de 2009

Polvo e seu simbolismo

Este polvo não está terminado e é uma comission pra uma moça que vai usar o desenho como estampa numa peça de roupa. Tô postando pra atualizar um pouco o blog!
Aí aproveitei e fui pesquisar sobre o simbolismo do polvo (sim, adoro simbolismos, deu pra notar). Eu sempre tive a impressão de que o polvo teria um simbolismo negativo. Mas nada, ele até é usado por marinheiros como símbolo de sorte e proteção, por toda a magia e fascinação que ele inspira, com suas aparições misteriosas e o modo como solta nanquim negro na água para causar confusão e ilusão, e escapar.

Alguns dos seus simbolismos são complexidade, variedade, diversidade, inteligência, visão, mistério e ilusão. Vocês já viram um polvo se movendo? É hipnotizante... sem falar que eles mudam de cor e de forma para se adaptar ao ambiente, de maneira absurda. É também considerado o mais inteligente animal invertebrado dos mares.

O movimento circular dos tentáculos nos remete ao símbolo e significado da espiral. Na arte da civilização minóica, em vasos e tigelas, o polvo era mostrado se desenrolando, e acredita-se que isso significava a criação e expansão do universo.

Outros significados simbólicos a que o polvo está ligado: o número Oito, defesa, estratégia, flexibilidade, adaptabilidade, imprevisibilidade. Como é um animal da água, também está ligado aos simbolismos desse elemento: a Lua, o signo de Câncer, chuva, trovão, emoção, intuição, criatividade, psique, fluidibilidade.

Enfim, há muito mais simbologias relacionadas a ele. Saber de tudo isso me fez me apaixonar por esse animal. Fascinante.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Sonho dos multiversos

Eu estava observando o céu, quando vi uma coisa luminosa se mexer.
Isso nunca é um bom sinal, nos sonhos. Geralmente significa uma aparição alienígena desagradável e indutora de pânico.
Mas nesse caso, eu pude verificar em pouco tempo, era só um balão.
"Balões são proibidos", eu pensei. E além de tudo, não era um balão comum. Era na verdade um móbile composto de várias velas vermelhas, que queimavam um fogo também vermelho. As linhas que as ligavam formavam uma figura que lembrava um pouco a árvore da Cabala.

Qual não foi minha indignação ao saber que quem havia soltado aquele perigo flutuante fora minha mãe!
Mas ela, irritada, me mandou não encher o saco, enquanto imagens de uma suposta seita mística, que tinha ligação com aquele ato dela, iam aparecendo na parede.

Lembro de, no sonho, tentar reproduzir esses símbolos num papel pra não esquecer. Os cílios dos olhos eram sempre pro mesmo lado. E havia essa espécie de cruz com pontinhos, mas era algo mais complexo que isso, e também lembrava um pouco uma suástica.

Essa era uma figura que ilustrava os "mestres" daquela suposta seita. Cada um vestia uma cor diferente, e eu saberia o nome de todos eles se pudesse manter a memória do sonho por completo, pois seus nomes completos apareciam sob eles.

Então minha mãe, sempre irritada, começou a discutir comigo dizendo que eu estava errada por acreditar num universo único com começo e fim, pois o que havia, verdadeiramente, era um multiverso.

Eu sabia disso, então para melhor me fazer entender, peguei um lápis e um papel e rabisquei o que simbolizaria um universo finito - uma linha reta, contínua, com início e fim. E depois, rabisquei o que simbolizaria o multiverso - um círculo, com vários outros círculos concêntricos, explicando em voz alta que o círculo não tinha início nem fim, e além disso, continha em si infinitos outros círculos.

Enquanto discutíamos, olhei pela janela do quarto e vi algo diferente no céu escuro. Era uma galáxia dourada, em movimento ascendente. Surpresa, fui até a janela, chamando minha mãe para ver também, e eis que a paisagem que vimos não era da nossa usual vizinhança, mas uma outra... Na penumbra, toda em tons de roxo, havia construções nunca vistas em nenhum lugar do planeta. Eram torres arredondadas e orgânicas, em andares sobrepostos como castelos ou pirâmides, pontilhadas de pontos luminosos. A disposição das construções mimetizava a paisagem urbana que conhecemos da janela de nossa casa, mas era totalmente diferente e alienígena.
Logicamente o que eu tentei ilustrar aqui não tem quase nada a ver com o que eu realmente vi no sonho. Parafraseando Tenacious D... "This is just a tribute".

E ao invés de pessoas, o que havia era criaturas negras como sombras, em forma de gota, com olhos brilhantes, se movimentando freneticamente para todos os lados sobre aquelas construções, como num formigueiro. Eu sabia que aquilo tudo era "outra versão" do nosso mundo, num universo paralelo. Mas era algo tão alienígena, tão completamente diferente de tudo que sabemos ou imaginamos, que eu comecei a sentir pânico ao imaginar como seria o contato com uma daquelas criaturas. Eu sabia que elas eram inteligentes, mas podia ser uma inteligência totalmente... surreal para nós.
Para meu alívio, voltamos ao nosso mundo, e a paisagem da janela voltou a ser a velha conhecida.

E é esse tipo de sonho que me atormenta na maioria das noites, obrigada pela atenção.

domingo, 4 de outubro de 2009

Encantamento

Uma vela acesa.
Acaricio a chama, passando nela os dedos por tempo suficiente para sentir sua textura macia, sedosa, e para manchar minha pele de fuligem. Mas não para queimar-me. Sua luz permite-me ver a transparência de mim mesma, iluminada por dentro em vermelho.
Uma música que é quase silêncio. Que são as vozes suaves e as cordas da harpa, que nos colocam em contato com um silêncio interno dançante, musical, gracioso, espacial. A cada vez que uma corda da harpa é beliscada, um lampejo de estrela, numa suave galáxia rodopiante. Cintilações do espírito.
Um encantamento, que é cantar um feitiço com a voz da alma. Macia, dançarina, leveza na brisa de éter que leva sua mensagem. Um desejo que rodopia no ar denso da noite, perturbando a escuridão como se perturba as águas de um lago sereno. Criando ondas no espaço.

As estrelas suspiram, todas, por um instante.

domingo, 27 de setembro de 2009

Pôr-do-sol

Então, eu não tenho desenhos novos por enquanto.
Mas hoje teve um pôr-do-sol muito bonito junto com uma ventania homérica e um pouco de chuva no horizonte, aí formou um arco-íris. Um pedaço. E eu tirei fotos:


terça-feira, 22 de setembro de 2009

Rendição ao mainstream

Ok, resolvi fazer um Twitter. Me rendi. É. Tô lá.
http://twitter.com/fadamariposa

sábado, 19 de setembro de 2009

Os dois últimos ACEOs

A cobrança pedido do Stewie, que se sentiu rejeitado por eu ter postado no meu DeviantArt mas não aqui (não sei por quê, já que pelo jeito ele também vive olhando o D.A. hahah).

Fiz mais 2 ACEOs (Art Cards, Editions and Originals - são pequenas obras de arte, num tamanho padrão de 2,5 por 3,5 polegadas, que são trocados entre artistas ou então vendidos para colecionar). Ambos foram feitos com aquarela, lápis de cor, nanquim e caneta branca.

"A Perfect Love"
O nome do amor-perfeito em inglês é pansy, mas eu fiz o trocadilho traduzindo pro inglês o nome em português ao pé da letra. E meio que pra contrastar com o fato de que é óbvio que o amor da menina não é tão perfeito. Ela está triste, sozinha e rejeitada.

"A little wound"
Há várias lendas que falam sobre a mulher-corça. Uma delas é indígena norte-americana, em que a mulher-corça, como uma sereia, seduz os homens para sua morte. Em outras tradições, ela também pode ser um sinal de mudança pessoal ou um aviso.
Mas há um conto de fadas em que havia uma moça que era humana de dia, e uma corça branca à noite, e ela termina sendo morta, por acidente, por seu irmão caçador.

É comum: as encantadas mulheres-corça, feridas pela flecha de um caçador que não percebe sua verdadeira natureza...

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Hoje eu sonhei com o Spider Jerusalem

O jornalista gonzo psicótico, lunático, drogado e fumante inveterado, do futuro caótico com milhares de canais de TV a cabo, perversões sexuais inimagináveis e hambúrgueres de macaco, perseguidor da verdade, preferido de todos nós.

Taí um rabisco que fiz dele, rodeado de nuvens auspiciosas de fumaça de cigarro.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Árvore de romã - completa

Edit: Falei que ainda ia mexer nela... clareei um pouco, mexi no fundo. Acho que agora sossego.

Questionaram se ela está triste porque perdeu a outra metade da romã. Eu não quis fazer ela triste nem nada, e pra mim ela, sei lá, comeu a outra metade ou ela nunca existiu. Ela só está exibindo a romã aberta contra o peito com um sorriso monalisítico como quem talvez saiba um segredo. A árvore de romã ainda está em flor, mas ela já tem um fruto maduro. De onde ele veio?

E disseram que o cabeleireiro dela não é muito bom. Coincidentemente, já falaram isso sobre o meu cabelo também!

E não importa o que aconteça, sempre haverá a música. É preciso lembrar... ela preenche todos os buracos.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Frustração!

Tá, vamos lá. Voltei àquele desenho da menina com a abelha. Comecei a fazer uma estampa de flores.

Legal, achei que tava indo bem.

Mas aí cismei de começar a colocar cor na menina, com a aquarela. Minha intenção original era deixar ela toda em branco e preto, assim como está, mas sabe como é a gana de meter o pincel. Só que eu não gostei. E o desenho começou a passar da fase "nossa que gostosto, relaxante e satisfatório fazer esse desenho" para a fase "puta que pariu, não tá ficando como eu queria, tá progressivamente NÃO ficando como eu queria...", que é quando o desenho deixa de te dar prazer e passa a te angustiar! Eu não conseguia dormir porque ficava aquela sensação de insatisfação e incompletude (é, eu sou noiada assim), e eu tinha que continuar mexendo nele. E não adiantou nada.

Agora ele é um pedaço frustrado de mim! Socorro! É assim que ele está agora:

Tá, não chega a estar ruim, mas... tá errado. Eu vou continuar mexendo nele até terminar, mas se essa sensação continuar, significa... BLOQUEIO! Por um tempo. Oh, não.

Tá, desabafei.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Antes tarde do que nunca...

Acabei sumindo um pouco do blog, mas foi sem querer! Não desenhei nestes últimos dias, então não tinha material novo pra postar aqui. Mas como o Stewie lembrou, eu não postei os 2 últimos ACEOs finalizados, então aí vão eles:

Ambos, como sempre, feitos em aquarela, lápis de cor, caneta nanquim e caneta branca. Na coroinha do sapo eu usei caneta dourada.

Um dos motivos de eu não ter desenhado ultimamente é falta de espaço na minha mesa. Eu também gosto de fazer bijuterias, e faço uma tremenda bagunça aqui com as peças. E ainda mais agora que eu arranjei um monte de penas... Aí está uma parte da zona (exibindo as peninhas coloridas - mas naturais! - a maioria de faisão e pavão e galinha d'angola):

Não sobra espaço pra desenhar! Tenho que fazer uma coisa de cada vez...

E só pra deixar registrado aqui, uma foto da visita do casal de urubus da vizinhança à nossa floreira no 13° andar. Pássaros lindos, totalmente poderosos. Quem liga pra má fama?

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Festa Celta!

EDIT: A festa foi adiada pro próximo sábado, dia 29, devido ao tempo. E eu provavelmente não vou poder ir, porque vou ter apresentação do grupo vocal no mesmo dia!! =(

* * * *

Esse sábado, dia 22, aqui em Curitiba, vai ter festa celta!



Eu vou estar lá, vendendo desenhos. Meus desenhos não são particularmente celtas, mas quem liga? Têm fadas. Celtas gostam de fadas e nós também.

Aliás, enquanto estava separando os desenhos pra fazer prints pra levar lá, senti uma vontade irresistível de revisitar um.
Essa fada tava horrível, com cara de manequim. E sem sobrancelhas. O que eu tava pensando?

Agora tá melhorzinha, na minha humilde opinião:

sábado, 15 de agosto de 2009

Mais ACEOs no forno

Esse negócio é viciante.

E como deve ter dado pra perceber, eu não consigo seguir uma rotina linear quando se trata de desenhar. Começo vários desenhos e vou alternando até um dia terminar cada um deles. Às vezes o processo leva meses. É que eu enjôo, a lua muda, sei lá, e preciso dar um tempo até voltar ao clima de trabalhar naquele desenho que deixei na metade.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

ACEOs

ACEOs (Art Card, Editions and Originals) são artes em miniatura, num tamanho padrão de 6,4 x 8,9 cm (o valor é assim quebrado porque originalmente está em polegadas - 2 ½ X 3 ½ polegadas), que artistas começaram a fazer inicialmente para trocar entre si e colecionar, e depois passaram também a ser vendidos, para que o público não-artista também pudesse tê-los e colecioná-los. Podem ser vendidos tanto os originais quanto prints dos mesmos.


Então eu resolvi fazer ACEOs! Demorou pra me acostumar com o tamanho, pois já estou acostumada a desenhar em papéis grandes. Acabei jogando fora 2 desenhos (morro de pena, mas fico com raiva na hora e preciso logo me livrar deles), até conseguir acertar. Depois que acostuma, é muito gostoso fazer essas mini-obras, e o desafio de desenhar numa área tão pequena é legal.

Todos pintados com aquarela, lápis de cor e caneta nanquim. Ah, e uma caneta branca pra detalhes.
É MUITO difícil manter as cores fiéis ao original, no computador. Fiz o máximo de ajustes que pude mas ainda não é a mesma coisa que pessoalmente.
Real Time Web Analytics